Fórum interpretativo dentro do universo de Saint Seiya.


    [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Compartilhe
    avatar
    Narrador
    Player
    Player

    Mensagens : 28

    Status
    Nível: 1
    HP/Cosmo: 100/100
    Sentidos: 6 Sentidos Comúns

    [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por Narrador em Qui Out 05, 2017 2:59 am




    A Imaginação Celeste




    Os ventos secos e o céu fechado trazia ao local um charme único e que não era encontrado tão facilmente. Desertos sim existem em vários locais, mas aquele, especificamente aquele... Ele era especial. Apenas de se botar os pés naquela neve você poderia sentir, caso fosse espiritualmente poderoso para isso, fragmentos de cosmo que contavam histórias. Não fragmentos comuns e tão pouco histórias felizes. O sentimento que tais lembranças emanavam em cada floco de neve do deserto era o mais puro desespero.
    Pouco se sabe sobre este deserto que se localizava na Nova Zelândia, próximo ao vulcão Plateau e outros três vulcões ativos. O local era conhecido como O Deserto de Rangipo e, diferente de todos os outros, era um deserto gelado.
    E o que se encontrava ali era não apenas o motivo do casal ter sido enviado, mas também o motivo pelo qual a “caça” dos espectros estava buscando. No centro do deserto, cerca de 1000 metros acima do nível do mar, o clima contava com nevascas, o que atrapalhava a vida das estrelas de Hades, mas é claro que isso não seria de fato um problema para os mesmos.
    Após algum tempo vagando por aquele inferno de gelo, algo não tão incomum para estes, eles encontrariam ruínas enormes e extensas. Praticamente uma cidade soterrada na neve e destruída pelo tempo e, talvez, por algo a mais.

    Ao adentrarem o local, se deparariam com incontáveis corpos congelados distribuídos por toda a paisagem local. Grudados em colunas, no teto, soterrados e com apenas poucas ou nenhumas partes expostas, descobrindo muitos destes ao pisarem em seus ossos. O local tenebroso poderia espantar qualquer alma deste mundo, mas para os Espectros, aquilo era mais um dia comum em suas vidas. Já presenciaram cenas muito piores no lugar de onde vieram.
    No centro da cidade perdida, encontrariam uma construção peculiar, diferente de outras de formato arredondado e que se sustentava em perfeitas condições até hoje, bom, perfeitas comparada às outras que foram destruídas por algum tipo de poder. Esta se mantinha intacta a não ser pelo tempo.
    Ao adentrarem descobririam uma gigantesca circunferência no centro da construção, preenchida completamente por água que se encontrava completamente congelada em sua superfície, a não ser por um local. No lado oposto de onde vieram, o gelo havia sido quebrado e a julgar pelos estilhaços, poderiam facilmente dizer que o que causou aquilo veio de dentro para fora. Se olhassem pelo buraco, descobririam que tal circunferência abrigava uma espécie de lago, ou túnel, fundo o suficiente para seus olhos não alcançarem nem mesmo a metade do primeiro terço deste.


    Antes que pudessem se estender no assunto, escutariam passos às suas costas e sentiriam um cosmo absurdamente poderoso engolindo-os completamente, como se fossem moscas presas à teia de uma aranha. Ao se virarem se deparariam com uma figura jovem, de cabelos pretos e olhos rubros sem expressão, porém completamente hipnotizantes. A pessoa na frente destes espectros era nada mais, nada menos que o próprio Deus do Submundo Hades!
    Nunca haviam o encontrado, porém os quadros do castelo mostravam claramente não apenas o receptáculos de vosso senhor, como também as transformações que sofrera após receber a benção de ter cedido seu corpo à este ser. O mais lógico a se fazer era, obviamente, se ajoelhar e se desculpar por atrapalha-lo. Era o que aquele cosmo os obrigava, inclusive. A força exercida em cima do casal fora tanta que estes dobrariam os joelhos querendo ou não.

    - O que vocês, meus espectros, vieram fazer neste local? – A voz fria e sem qualquer alteração assoviava como a morte na alma dos dois.


    - Atenção -

    - O prazo de postagem é de até 7 dias contados a partir do post do Narrador. Caso você não possa postar, avise ao ADM responsável pela trama ou sofrerá as consequências (que pode resultar até mesmo em morte do personagem).

    - A trama a seguinte ordem de postagem: 1° Akkarin de Wyvern / 2° Sayuki de Benu

    - Tenham cuidado nos posts de batalhas, qualquer erro poderá e será explorado pelo narrador, o que pode resultar em graves ferimentos e até na morte do seu personagem.

    - New Legends -


    Créditos:  Zetto
    avatar
    Akkarin de Wyvern
    Juiz do Inferno
    Juiz do Inferno

    Mensagens : 51

    Status
    Nível: 16
    HP/Cosmo: 1150/1150 (1050/1050)
    Sentidos: 8º Sentido

    Re: [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por Akkarin de Wyvern em Qui Out 05, 2017 11:49 am



    Trama - A Imaginação Celeste






     



    Não era bem o que eu esperava. Quando escutei a palavra “deserto” imaginei imediatamente um mar de areia sob um calor escaldante, mas o local que me encontrava poderia se dizer que era no mínimo o oposto. O vento seco fazia minha respiração arder em minhas narinas, mas somados ao nublado céu passava um encanto que muito admirei. Seria aquela a aparência do mundo quando nosso soberano o conquistasse? Tirando o frio, era algo um tanto acolhedor para meu gosto. Todavia o que mais me chamou atenção fora à sensação que cada floco de neve passava ao ser tocado, uma sensação majestosa. A cada partícula do material mais poderia convencer-se que eram na realidade partículas de cosmo dos que viveram todos os acontecimentos que afligiram estas terras. Dor, sofrimento e a maior das angustias estava impregnadas como uma cicatriz sobre a pele da historia, uma lembrança de uma ferida que apesar do tempo sempre seria lembrada por sua marca permanente. Talvez ensinando algo, ou talvez para mostra que coisas maravilhosas já aconteceram em algum momento tão desconhecido quanto o que realmente aconteceu ali.

    Estávamos na Nova Zelândia, apesar de já ter explorado vários cantos do mundo teria que dizer que seria a primeira vez que colocaria meus pés naquelas terras. Estávamos cercados por quatro vulcões ativos, pelo menos era o que dizia às informações que pesquisei sobre nosso destino. Irônico, afinal diante da imagem padrão e ignorante que costumamos ter, não imaginaria um local cercado por vulcões ativos como sendo um gélido deserto. As coisas começaram a ficar incomodas quando estava mais próximo de nosso destino, pois uma nevasca começara a forçasse contra nos. Surpresa passava longe diante do clima que caiu sobre nos, no fim das contas estávamos a um quilometro acima do nível do mar, não poderia esperar outra coisa. O gélido vendaval não era um problema para mim e creio que não seria para Sayuki que seguia a meu lado, no entanto era incomodo e deveras irritante.

    - Esse lugar esta começando a perder a beleza! – Falei seriamente demostrando meu descontentamento com a neve que batia em nosso rosto. – Fique próxima de mim, Sayuki. – Disse sorrindo para ela imaginando se estava deleitando-se com o sofrimento que se misturava no ar que respirávamos.

    Após algum tempo caminhando pela tediosa paisagem que nos encontrávamos, acabamos por nos deparar com o que seria uma cidade fantasma. Ruinas extensas percorriam por toda nossa visão, a neve cobria o que antes seriam moradias e monumentos, o tempo fizera o seu trabalho transformando o que seria um dia uma cidade, em escombros banhados em historias igualmente a neve que os cobria, no entanto o tempo aparentemente teve uma ajuda a mais nesta tarefa. Uma vez que adentramos a cidade vimos algo que alegrou os meus olhos e fez-me sorrir alegremente. Corpos... Incontáveis corpos espalhados por onde a vista alcançavam, grudados e congelados pelas estruturas que uma vez os abrigou, mas que aquele momento significou a morte para muitos deles.

    - Pronto, começou a ficar bonito novamente! – Diria alegre e sorrindo de forma psicótica como costumava fazer.

    Cada passo que dávamos era sobre ossos tão velhos quanto à própria neve. Vira muitas coisas no inferno, eu mesmo já construí cenas piores, mas estar diante desta me trouxe certo conforto como a nostalgia de um viajante ao lembrar-se de casa. Após alguns minutos chegamos ao centro da cidade, logo de cara algo me chamou atenção, havia uma construção que se destacava do lugar como uma peça fora do lugar. Sua arquitetura diferente das demais estava intacta no que se diz respeita às demais construções destruídas por uma força misteriosa, ali apenas o tempo era vil.

    - Não abaixe a guarda e tome cuidado. – Alertei Sayuki enquanto ativava minhas habilidades antes de adentrar a construção.

    Uma vez dentro deparei-me com um salão contendo uma grande circunferência em seu centro. Dentro havia água que provavelmente devido ao clima criou uma crosta congelada por toda superfície com exceção de uma pequena área. Adiante a porta que entramos havia estilhaços de gelo ao redor de um buraco, entre tudo eu havia causando destruição o suficiente para perceber que o que causou aquilo veio de dentro para fora e não o oposto, a situação esta cada vez mais misteriosa o que por sua vez atiçou minha curiosidade. Quando comecei a caminhar em direção ao buraco algo me chamou atenção. – Passos!– No entanto ao me virar tive o prazer ou desprazer de sentir um cosmo absurdamente grande e poderoso, naquele momento saberia que mesmo com minha força pouco poderia fazer contra aquilo.




    O que poderia ser? Aquilo poderia nos matar... - Sayuki! – Pensei ao tentar olhar para jovem, ela poderia morrer ali. O peso em meus ombros era tamanho que usava de toda minha força física pra evitar cair ao chão, apesar do frio uma gota de suor escorria por minha feição agora preocupada e raivosa diante da incapacidade. – A senhora pandora quer nos matar?! – Pensei enquanto uma figura entrava em meu campo de visão. Um jovem de cabelos pretos e olhos rubros, encarava-nos com calma e soberania. Mas eu o reconhecia, aqueles traços... Aqueles olhos... Aquela pessoa diante de nos, era o grandioso Hades! Imediatamente cedi a força para poder ajoelhar-me diante de meu deus.

    - Grandioso Hades, peço perdão por qualquer incomodo. – Diria com a cabeça abaixada ainda em reverencia após ouvir suas palavras. – Estamos aqui em missão dada pela senhora pandora. Fomos ordenados a investigar a misteriosa força que surgiu neste local, mas juro pelo seu nome que, ambos seus servos, não sabiam que se tratava do senhor.

    Diria em reverencia praticamente obrigatória, não adiantaria planejar mais nada afinal era Hades... Se quisesse nos matar morreríamos ali mesmo, apenas contava com sabedoria do poderoso Hades.


     








    __________________________________



    avatar
    MOD Sayuki de Benu
    Estrela Celeste Maior
    Estrela Celeste Maior

    Mensagens : 61

    Status
    Nível: 4
    HP/Cosmo: 650/650
    Sentidos: 7º Sentido

    Re: [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por MOD Sayuki de Benu em Qua Out 11, 2017 7:40 pm




    Sayuki de Benu


    Fúria... Raiva... Ódio... Os sentimentos misturavam-se de forma constante no interior de Sayuki, mas naquele momento, sua mente trabalhava de forma ardilosa a fim de obter formas de matar o homem que havia tentado manchar a honra do juiz de Wyvern. Apesar de baixo, era possível notar o cosmo da espectro fervilhando com todos os sentimentos negativos que poderia carregar; mas de alguma forma o tal deserto chamou momentaneamente a atenção da ruiva, fazendo-a sentir de forma fraca o frio do ambiente, a sapuris cobria a mesma de forma completa, mas seu rosto ainda estava vulnerável ao vento e a neve daquele local ──Este local me irrita... ── falou de forma baixa enquanto caminhava ao lado do juiz que outrora amostrou alguma preocupação com a mesma ── Não se preocupe, nunca sairei do seu lado ── respondeu novamente soltando uma fraca risada em direção ao juiz.
    O local frio e gélido sequer despertava interesses na espectro que vagava ao lado do Akkarin sem olhar muito para os lados e notar que aquele local mais parecia uma prisão do que um deserto, mas a forma com que os flocos de neve caiam suavemente contra a sapuris que trajava e vez ou outra tocavam o rosto de Sayuki de forma delicada, dava uma certa agonia e ao mesmo tempo causavam um estranho sentimento de nostalgia, como se já tivesse sentindo o cair daqueles suaves flocos outrora, mas ainda sim era algo que Sayuki teria de ignorar completamente no momento.

    Os passos suaves deixavam marcas na neve daquele local, de alguma forma a espectro sentia a estranha nostalgia mais e mais forte a todo o momento, mas constantemente tentava ignorar esse fato ── Não há nada nesse inferno gélido... ── comentou baixo após andar por algum tempo, mas pouco tempo após ter começado a longa caminhada, um sorriso brotou em seus lábios... Ruínas de uma cidade completamente destruída "Como eu teria adorado ouvir os gritos de dor e as súplicas de misericórdia dessas pobres almas" Pensou enquanto andava pelo local. Ainda estava a vislumbrar as ruínas do local, mas aos poucos, seguindo os passos do juiz de Wyvern, Sayuki se direcionou para o interior daquele local; seus olhos deliciaram-se com a visão dos corpos congelados, aos poucos a raiva ia passando dando lugar a um incontável prazer que sequer poderia ser descrito com palavras pela espectro ── Realmente ── falou em tom baixo enquanto mantinha curta a distância até Akkarim ── Este local está ficando muito mais belo ── o sorriso vil e cruel estava estampado em seus lábios, mas ainda sim havia algo naquela neve que incomodava seriamente Sayuki.

    O alerta de Akkarin fez a espectro elevar um pouco o cosmo de forma que a violência de sua estrela pudesse ser sentida por qualquer um que estivesse próximo ── Não abaixarei ── respondeu firme enquanto ainda andavam. Pouco a pouco, entravam numa espécie de salão de grandiosa circunferência, dentro do mesmo havia água que parecia ter sido congelada pelo tempo, mas de alguma forma Sayuki havia notado que Akkarin parecia observar uma espécie de fissura na camada de gelo, mas o que a assustou na verdade foram os sons seguintes. "Passos?" Pensou tentando buscar de forma discreta " Seria Yoshiro?" pensou novamente ao passo que uma grandiosa cosmo energia começava a esmagar o corpo de Sayuki que logo ajoelhou-se antes mesmo de notar a quem pertencia tamanha força. A voz ecoou por seus ouvidos fazendo momentaneamente os olhos rubros da ruiva irem de encontro a figura misteriosa "Não pode ser..." pensou enquanto ouvia o juiz de Wyvern dialogar com a figura. Pela primeira vez Sayuki havia sentido medo da força de alguém.

    ──Fala──

    "Pensamento"







     

    Voltar ao Topo


    __________________________________

    avatar
    Narrador
    Player
    Player

    Mensagens : 28

    Status
    Nível: 1
    HP/Cosmo: 100/100
    Sentidos: 6 Sentidos Comúns

    Re: [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por Narrador em Qui Out 12, 2017 6:33 pm




    A Imaginação Celeste




    Wyvern sentiu algo único em sua vida, uma espécie de desespero que o fez questionar até mesmo as ações de Pandora. Não tardou a ceder e se ajoelhar perante a pessoa que estava à sua frente, reverenciando-a, se apresentando e se justificando por atrapalha-lo. O ser de olhos rubros o observou de cima a baixo, mas não lhe deu muita atenção. Seus olhos ficaram fixos na companheira de Akkarin.
    A espectro de Benu ao invés de se reverenciar, respeitar, ou ao menos se apresentar ao seu senhor, levou seus pensamentos até um outro espectro com a qual tinha uma rixa por algo que ele fez ao seu companheiro. Ela ficou apenas observando o Senhor do Submundo sem esboçar uma única linha respeitosa em seu rosto. E ele não gostou disso.



    Hades caminhou com passos lentos até ficar centímetros de distância de seus dois guerreiros. Ele passou os olhos ameaçadores pelos dois, gelando suas almas e lhes dando um sabor pior do que a própria morte que Sayuki sofrera em vida, no caso de Akkarin era uma sensação desesperadora que jamais havia sentido.

    - Akkarin de Wyvern, não é? – A voz continuava no mesmo tom, mas ganhava um certo ar ameaçador. – Imagino que esta seja... – Fitou friamente os olhos de Sayuki, lhe causando uma sensação estranha, como se estivesse sendo invadida. – Sayuki de Benu, a estrela celeste da Violência. Que coisa... O que são esses sentimentos? – Hades se abaixou, ajoelhando-se para encarar a espectro na mesma altura. – Você acha que tem tempo para pensar no Yoshiro enquanto eu estou na sua frente? – Hades abriu sua mão direita e pressionou seus dedos contra o abdômen da mulher. Você será punida. – A última frase soou tão desesperadora ao ouvido dos espectros quanto o grito de suas almas sendo torturadas por seus piores medos.

    - Salamandra Satânica. – Sua voz havia se alterado, não parecia ser Hades falando.

    Das mãos pálidas de Hades uma poderosa luz surgiu e o seu cosmo se revelou bem diferente do que demonstrava até então, passando outra sensação e até mesmo perdendo a grande imponência anterior. No entanto, não havia como escapar. De sua mão fora expelida uma poderosíssima rajada de cosmo que destruiu completamente aquela parte da sapuris de Sayuki e a empurrou com grande violência contra a parede oposta, causando grande dano na mesma e nas asas de sua veste. O dano fora alto uma vez que ela havia sido pega à queima roupa e sem defesa, absorvendo o ataque por completo.

    - Agora, Akkarin. Mate-a e a ensine como se trata um Deus. – Sua voz voltara ao tom anterior, como se a própria morte assoviasse em seus ouvidos.

    Ele daria as costas aos dois, se afastando e indo na direção da água congelada, se posicionando na frente do buraco que fora feito por dentro. Como não podiam ver seu rosto, Hades sorriu de uma forma sarcástica, como se achasse graça da situação.
    Sayuki no entanto havia caído no chão e estava com seus sentidos confusos por conta do baque. Não ficaria de pé tão facilmente. Akkarin havia sido libertado do cosmo que o fizera se ajoelhar anteriormente e a pressão deste não mais existiria no ambiente. O que estaria acontecendo naquele lugar e como Hades sabia sobre Yoshiro? Por que Pandora havia os enviado até ali? E, principalmente, o que era este golpe que Hades utilizou em Sayuki?

    Importante

    - Sayuki, preste mais atenção na trama atual. Você praticamente escreveu apenas uma linha para Hades.


    Ficha dos Personagens

    Akkarin de Wyvern
    HP 900
    Cosmo 900

    Sayuki de Benu
    HP 350 (300 de dano causado pela técnica de Hades)
    Cosmo 650

    - New Legends -


    Créditos:  Zetto
    avatar
    Akkarin de Wyvern
    Juiz do Inferno
    Juiz do Inferno

    Mensagens : 51

    Status
    Nível: 16
    HP/Cosmo: 1150/1150 (1050/1050)
    Sentidos: 8º Sentido

    Re: [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por Akkarin de Wyvern em Dom Out 15, 2017 1:08 am



    Trama - A Imaginação Celeste






     




    Quando o poderoso Hades passou seus olhos sobre mim, senti algo que nunca havia sentido antes... Um desespero que nunca consegui causar em nenhuma das minhas vitimas. Reconheceu-me e apenas assenti com a cabeça em afirmação a sua resposta, no entanto ao focar-se em Sayuki ele de certo a reconheceu, todavia notou algo a mais. Ele descobrira que a jovem mantinha seu pensamento nos últimos acontecimentos que de certo a abalaram. Foi uma atitude imprudente e isso foi mais que comprovado quando o deus colocou suas mãos em seu abdome e a informou que sua punição seria imediata, mas de uma maneira... Extremamente desesperadora. – Ele vai mata-la... – Pensava em meio ao desespero que me assolava como uma nova experiência que não sabemos como reagir. Perde-la era perder uma parte de mim mesmo, mas o que poderia fazer contra Hades? Ele era nosso senhor pelo qual servimos fielmente, e em questão de poder estamos em patamares bem diferentes.

    Entre tudo algo me causou estranheza uma vez que ao dizer o nome de sua técnica sua voz não parecia à mesma. O que estava ardendo dentro de mim se acendeu ainda mais quando o deus emitiu um brilho tão poderoso quanto à luz de minha própria aura, todavia seu cosmo revelou-se ser bem diferente do que antes demostrara... A sensação era outra assim como a imponência que já não estava mais presente na energia. Longe de mim considerar-me o mais inteligente do inferno, mas um deus possuía sua energia de forma natural e estável  apenas por ele ser o que é, não precisa ser um gênio para saber disso. Mas ele... Parecia que estava se esforçando pra manter a aparência e intensidade. Entretanto o pior aconteceu e uma rajada fora disparada das mãos do suposto hades, a mesma quebrou a sapuris de Benu no local atingido e arremessou minha companheira violentamente contra a parede. As palavras seguintes, ou melhor, a ordem seguinte... Quebrou-me.




    Ele queria que eu a matasse? Matasse a mulher que descobri que conseguia amar?
    Ainda não me acostumei com esta palavra, no entanto nenhuma outra descreveria melhor o que sentíamos. Eu caminhava lentamente enquanto em minha mente outro confronto era realizado, minhas ideias se digladiavam como gladiadores da antiga Roma tentando buscar minha atenção ou mesmo achar um consenso entre si. Porque meu senhor mandaria mata-la? Existem outras formas de punição... Mas se ele é Hades pode fazer o que quiser, todavia porque seu cosmo oscilava tanto? Não importa ele é nosso soberano e apenas tinha de obedece-lo.

    Já próximo de Sayuki ativei minhas habilidades que acompanharam uma elevação de cosmo, uma grande força gravitacional afligia a tudo em uma circulo ao meu redor o que incluía até mesmo a luz. Minha imagem para todos que estivessem de fora do circulo, se mostrou turva e desfocada dificultando o entendimento de meus movimentos. – Me desculpe... – Lembrei do momento que a conheci, quando a encontrei naquele vilarejo e como de repetente ela revirou minha vida e até me deixou louco... Mas tudo tomou sentido quando finalmente aceitei debaixo daquela maravilhosa chuva de sangue e corpos. Mas agora... Ela irá morrer em minha mãos e pelas minhas mãos? Eu tinha de cumprir meu dever, levantei meus braços preparando meu ataque, olhei nos olhos da linda jovem a minha frente...  – Mas hoje você vai morrer... QUASAR CANNON! – E assim disparei um golpe usando toda minha velocidade.

    Eu era um servo fiel... Tinha de obedecer às ordens dos poucos que eram meus superiores. No entanto, diante de mim estava o corpo de Sayuki... Ainda com vida.




    Meu golpe fora direcionado para suposto deus com a tentativa de pega-lo de surpresa, atingi uma das pedras que caiam do teto quando criei o campo gravitacional e assim o feixe correu rumo ao homem que se dizia ser o deus do submundo. Eu teria que obedecer qualquer ordem de meu senhor Hades... Mas Jamais iria atacar a única pessoa no mundo que não conseguia e muito menos queria matar, ainda mais quando esta ordem viria de um falso deus! Eu estava fervilhando de raiva, a fúria tomava conta de cada parte do meu corpo... Meu cosmo fora liberado intensamente e minha aura roxa espalhada por todo o ambiente como uma doença que se alastra a fim de matar tudo que encontra. Pedras tremiam e voavam diante da intensidade assim como as parede começavam a rachar diante da fúria de Wyvern.

    - Não sei quem você realmente é... Mas cometeu um erro gravíssimo... – Falara quando olhava para ele com meus olhos de tonalidade igualmente roxa, e com uma sede de sangue e sofrimento que ninguém nem mesmo sayuki, havia visto antes. – Você ousou tocar nela! E vai pagar por isso!

    Habilidade:
    Nome da Habilidade: Gravity Power

    Descrição: Graças a um treinamento especial o corpo de Akkarin adquiriu a habilidade unica de manipulação gravitacional. Para tal o cosmo do Juiz é usado como "combustível" de tal habilidade. Uma vez que tem controle da mesma pode exercer forças atrativas como repulsivas de maneiras variadas.  

    Efeitos:A habilidade pode ser usada produzindo forças repulsivas e atrativas.


    Atrativas


    Com este tipo de força é possível criar um campo gravitacional ao redor de um objeto, podendo servir como escudo e usando este mesmo artificio, tornar o mesmo objeto invisível ao dobrar a luz que o atinge, não de maneira perfeita como em uma habilidade de controle de onda de luz. Outra utilidade é poder mudar o peso dos objetos, deixando os mesmos mais leves ou pesados. A criação de gravidade artificial é de grande utilidade para o Juiz, podendo por exemplo ser usando em um objeto para atrair e prender o mesmo. Neste caso se criasse tal força em um bloco de pedra, o que passasse e fosse pego por sua força iria ser puxado para o mesmo bloco, prendendo seu alvo no mesmo se sua força não ultrapasse a força gravitacional. Usando esta mesma ideia poderia até mesmo ser usada no chão para imobilizar ou deixar mais lentos seus alvos que passassem pala areá de influencia, sejam pessoas ou até mesmo armas. Ao focar uma intensa força gravitacional em um único ponto pode-se criar um buraco negro. Os mesmo podem variar sua força e tamanho, mas seguem todas as características de um buraco negro natural. O kyoto somente é afetado por eles se assim desejar.


    Repulsivas


    No âmbito das utilidades repulsivas existe uma forma mais comum de uso. Através de uma das mãos, desencadeando um canhão gravitacional concentrado que pode ser disparado em linha reta até seu alvo.

    Técnica :
    Nome da Técnica: Quasar Cannon

    Estilo: Suporte/Ofensivo

    Casto Cósmico: Médio  

    Descrição: Consiste na criação de feixes gravitacionais concentrados e disparados de seu punho a cada soco. O feixe iria puxar de maneira intensa toda matéria para seu centro, logo aumentando o dano do soco e podendo destruir e perfurar materiais extremamente duros. Uma analogia para o compreendimento seria a seguinte, imagine um tubo e dentro do mesmo em seu centro existe um canudo que se estende pelo mesmo comprimento. Tudo que entrar no tudo sera violentamente atraindo e comprimido para o canudo. O "tubo" tem o diâmetro do punho de Akkarin e o efeito dura por duas rodadas causando o feixe em todos os golpes do Espectro. O feixe é disparado quando o golpe acerta o adversário. O feixe percorre uma distancia de 10 metros, podendo assim acertar oponentes ou estruturas que estiverem atrás do alvo original dependendo do dano.

    Efeitos: Os golpes do Espectro tiram dano dobrado de seu adversário por causar dano físico (punhos) e cósmico (Feixe gravitacional causado pelo cosmo). Pode destruir e perfurar matérias extremamente densos, como por exemplo pode facilmente atravessar uma armadura de prata assim como uma de ouro em alguns golpes e fazendo com que o golpe do Kyoto passe pela mesma.


     








    __________________________________



    avatar
    MOD Sayuki de Benu
    Estrela Celeste Maior
    Estrela Celeste Maior

    Mensagens : 61

    Status
    Nível: 4
    HP/Cosmo: 650/650
    Sentidos: 7º Sentido

    Re: [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por MOD Sayuki de Benu em Seg Out 23, 2017 7:11 am




    Sayuki de Benu

    A pressão cósmica exercida pelo senhor do mundo dos mortos era tão grande que Sayuki sequer conseguia pensar em seus devaneios anteriores. Seus olhos rubros encaravam as linhas do rosto de Hades de forma espantada e ao mesmo tempo com uma pequena ponta de admiração e medo; a violência de seu cosmo já não era sentida naquele momento devido à pressão outrora exercida pelo Deus. ── Sayuki de Benu, a estrela celeste da Violência. Que coisa... O que são esses sentimentos? ── a voz do senhor do mundo dos mortos era firme e ao mesmo tempo autoritária, como a de um verdadeiro comandante, o que fazia a espectro admirar mais ainda a face de seu Deus, o mesmo havia abaixando-se para que Sayuki pudesse observar ainda mais a perversidade de seus olhos tão vermelhos quanto os dela ── Você acha que tem tempo para pensar no Yoshiro enquanto eu estou na sua frente? ── Sayuki engoliu seco no mesmo momento "como ele notou?" pensou enquanto os olhos se mantenham fixos nos olhos de Hades; a palma destra era posicionada contra o abdome da espectro fazendo a sapuris ser pressionado de forma leve contra o corpo da mulher  ── Você será punida ── a entonação da voz do senhor dos mortos soou um tanto desesperadora aos ouvidos de Sayuki fazendo a mesma pensar rapidamente se realmente tinha feito certo em ficar devaneando ao invés de tratar com maior respeito o Deus do submundo, aquele que tinha a vida da mesma em suas mãos. Entretanto, mesmo perante a extinção eminente, a cabeça da ruiva fervilhava de questões que pareciam estranhas, "Porque Hades se importara tanto com meus pensamentos estarem voltados a torturar Yoshiro quando fosse possível" , "Porque o mesmo se abaixou para que pudesse olhar mais profundamente em meus olhos?" , " Porque simplesmente não me eliminou no momento em que me vou entrando em seu recinto de descanso "... Muitas eram as dúvidas, mas estas logo se silenciaram com o ataque desferido pelo mesmo ── Salamandra Satânica. ── Por um brevíssimo momento, a voz de Hades havia se alterado e sayuki acabou sorrindo ao receber aquele ataque "Falso Deus" pensou enquanto vislumbrava as mãos pálidas de Hades. Uma poderosa luz surgiu e o cosmo do possível executor da espectro se revelou bem diferente do que demonstrava até então, passando outra sensação e até mesmo perdendo a grande imponência anterior. No entanto, não havia como escapar.

    O ataque fora feito a queima roupa, impossibilitando sayuki de qualquer espécie de defesa, sua sapuris estava parcialmente destruída na região afetada, bem como em suas asas devido ao impacto que sofrera. Os sentidos haviam ficado conturbados naquele momento, mas ainda conseguia escutar perfeitamente o que continuava a acontecer no local ──Agora, Akkarin. Mate-a e a ensine como se trata um Deus. ── A voz de Hades agora retornara com a mesma imponência de outrora, o que deixava a espectro ainda mais intrigada com porque de todo aquele pequeno teatro por parte de Hades. Mas, de uma forma estranha, mesmo sabendo que aquele Hades, poderia não ser o verdadeiro senhor dos mortos, Sayuki sentiu um estranho temor em seu coração "Será que serei capaz de morrer em paz? Pelas mãos do meu anjo?" o pensamento perpetuou-se pela mente de Sayuki juntamente com um suave sorriso que se demonstrara em seus lábios, o pedido de desculpas de Akkarin chegara aos ouvidos da ruiva, a elevação do cosmo do mesmo juntamente com o início do ataque que já havia visto algumas poucas vezes ── Não precisa se desculpar ── A voz de Sayuki era baixa ao passo que seu cosmo tentava crescer e demonstrar que não havia medo perante o juiz, mesmo este podendo ser o arauto de sua morte ── Só está fazendo seu trabalho ── a voz continuava baixa e doce, de alguma forma, estava disposta a se sacrificar para que o juiz fosse perdoado de qualquer forma. Os segundos anteriores ao disparo da técnica de Akkarin, fizera a ruiva relembrar toda a sua vida, desde seus primeiros passos até o dia em que um cavaleiro de bronze havia batido a sua porta por ter sentido um cosmo um tanto poderoso naquele local. O dia de seu despertar era o fato que se lembrara com mais vivacidade, o mesmo dia em que havia conhecido o juiz de Wyvern, o homem que, assim como Sayuki, adorava torturar suas vítimas antes mesmo de fazer com que definhassem até a completa morte, tudo aquilo passara na mente da ruiva em um curtíssimo período de tempo. ── Mas hoje você vai morrer... QUASAR CANNON! ── a voz do juiz ecoou o que poderia ser uma ultima vez nos ouvidos de Sayuki ── Então... É o fim... ── Os olhos rubros se fecharam esperando o impacto do ataque das mãos de Akkarim... Mas por algum motivo este não aconteceu.

    Sayuki abriu os olhos novamente encarando a face raivosa do juiz de Wyvern em direção a Hades, dos lábios da ruiva uma risada acabou escapando de forma sádica, ao mesmo passo que esta tentava se levantar com certa dificuldade devido ao golpe anterior ── Realmente achou que seu plano fosse dar certo? ── dos lábios da ruiva era possível ouvir o tom desafiador da mesma ── Seria tudo completamente perfeito... mas você errou ao me atingir ── seu cosmo crescia rapidamente, todo o medo que havia sentido antes, qualquer sentimento de culpa havia sumido tão rápido que poderia se dizer que o mesmo nunca havia existido no corpo da espectro de Benu ── Akkarin, se possível, quero acabar eu mesma com este homem ── o pedido da espectro era feito sem haver contato com os olhos do juiz, esta esperava que o pedido fosse atendido pelo mesmo de forma que não indeferisse na luta ── Você me amostrou sua potência, agora deixe que eu demonstre a minha. ──
    o sorriso no rosto da ruiva se tornara mais sádico e desafiador do que nunca, era possível notar o véu de coloração roxa se formar envolta de seu corpo e concentrar-se em suas cordas vocais, mais precisamente na garganta ──Come at me And you'll see I'm more than meets the eye You think that You'll break me You're gonna find in time You're standing too close to a flame that's burning Hotter than the sun in the middle of July Sending out your army, but you still can't win ── de alguma forma, Sayuko começava a tomar um aspecto diferente de antes ── Listen up silly boy 'cuz I'm gonna tell you why I burn! Can't hold  now You got nothing that can stop me I burn! Swing all you want Like a fever I will take you down.
    Reign supreme?In your dreams? You’ll never make me bow  Kick my ass?I'm world class And Super Saiyan now You’re starting up a fight that you just can’t finish Watch the little hearts while they scrape you off the floor .
    Bringing out your rockets, well, shoot 'em up baby High as you can go, but I’m the one who’s gonna soar
    ── Conforme a melodia continuava, o cosmo de Sayuki crescia de forma exponencial, a ruiva havia acordado do estado de letargia anterior, Yashiro não era mais um problema em sua mente, queria somente acabar com o homem que manchava a imagem do Deus a qual a espectro decidira seguir e proteger a muitos anos atraz.

    ──Fala──

    "Pensamento"


    Habilidade Usada:



    Nome da Habilidade: Sirens' song
    Descrição:
    Sayuki é capaz de emitir uma voz de canto surpreendentemente bela e encantadora que é capaz de seduzir aqueles que ouvem sua melodia atraindo-os para os braços da morte.

    Para aqueles que ouvem sua melodia, Sayuki adquire um tom mais espectral e belo do que o costumeiro, a imagem acaba por tornar-se translúcida e azulada para alguns, outros já veem a imagem do ser que mais tem ligação no mundo. Essa habilidade confunde mentalmente aqueles que ouvem a melodia, deixando os sentidos conturbados e confusos. Por se tratar de uma técnica sonora, a mesma afeta diretamente as camadas mais profundas do canal auditivo, criando pequenas ilusões, sendo estas diferentes para cada alvo. Mesmo aqueles que tenham por algum motivo perdido a audição, são afetados por esta técnica pelo fato da mesma ser potencializada pelo cosmo de Sayuki, fazendo sua voz vibrar em frequências muito altas ou muito baixas.
    Efeitos:
    Usando sua voz potencializada com seu próprio cosmo, Sayuki consegue atordoar os sentidos de todos aqueles que estejam próximos e aptos a ouvir, entretanto não existe distinção de amigo ou inimigo quando se usa essa habilidade. É necessário um pequeno período, cerca de um post, para que a habilidade tenha efetividade total no(s) alvo(s).



     

    Voltar ao Topo


    __________________________________

    avatar
    Narrador
    Player
    Player

    Mensagens : 28

    Status
    Nível: 1
    HP/Cosmo: 100/100
    Sentidos: 6 Sentidos Comúns

    Re: [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por Narrador em Qui Out 26, 2017 2:36 pm




    A Imaginação Celeste





    Seu plano não durou mais do que esperado. O Juiz enfim percebera a artimanha que havia feito para os dois espectros. Fingindo que cumpriria sua ordem, Akkarin na verdade o atacou após confundi-lo com sua habilidade e com sua estratégia, atingindo uma pedra e fazendo com que sua técnica fosse levada até o mesmo. O golpe acertou a parte superior direita de seu torso, arremessando-o para trás, este, no entanto, caíra “de pé”, apoiando-se com suas mãos no chão para se equilibrar. Não era mais Hades, sua aparência havia mudado completamente.  
    Já equilibrada, mas ainda apoiada no solo, ela os olhou de cima para baixo, tanto para o imponente juiz que achava ter sido esperto quanto para a Benu que sofrera pela incompetência de seu superior. Deveria ter agido assim que ouvira o nome de sua técnica. Ou Hades passara à brincar com salamandras por seu castelo? – Hahaha. – Riu ao ouvir as palavras do rapaz, debochando deste e de sua companheira.

    Com as pupilas púrpuras e os globos oculares negros, sua aparência chamava bastante a atenção. Cabelos longos, com mechas caídas sobre o rosto e outras trançadas com adornos de esmeralda, os fios brancos como a neve, assim como sua pele. Seu rosto fino, lábios carnudos e corpo esbelto lhe fazia disputar em beleza contra Sayuki. Sim, era uma mulher que trajava à escama que facilmente poderia ser reconhecida devida sua forte coloração alaranjada.

    Farah de Lymnades:



    - Me desculpe, eu sou mulher. – Respondeu de forma debochada à afirmação de Sayuki, que desejava mata-la. – Eu sou a General Marina Farah de Lymnades, estou a serviço de meu senhor Poseidon.

    O deboche, que a princípio lhe fazia julgar o péssimo gosto musical da espectro, no entanto, se transformaria em uma certa preocupação conforme a espectro de Benu mudava seu tom, expressão e vontade.  Seu canto penetrava os ouvidos da General. Conforme ia ouvindo aquele som, a aparência de Sayuki ia se alterando e Farah ia perdendo o controle de seus sentidos, a espectro agora possuía um tom espectral e translúcida, tornando-se até mesmo mais bela. Farah teve a sorte de já estar apoiada no chão, caso contrário desabaria. Akkarin, no entanto, também sofria da mesma ilusão. Seus ouvidos foram preenchidos pela música e os efeitos também se davam nele, fazendo-o cair de joelhos.
    Farah conseguiu julgar precisamente o poder da espectro, uma vez que sua habilidade principal também se tratava de ilusões. Mas não seria ela o alvo de sua próxima artimanha. A Marina olhou para Akkarin, observando fixamente seus olhos antes que o poder de Sayuki chegasse ao seu ápice, ela sorriu e então o Juiz caíra em sua segunda ilusão.

    O Juíz de Wyvern perderia completamente seu senso de direção, de espaço e sua visão por alguns segundos, apenas ele seria afetado. Ao retornar e procurar se localizar, se depararia com não uma, mas duas Sayukis de Benu. Ambas em lados opostos do salão que agora se tornara completamente simétrico, sem portas ou janelas, tornando impossível para o juiz identificar qual era a verdadeira Sayuki. Ambas estavam na mesma posição, tinham a mesma expressão e possuíam o mesmo cosmo. Ambas as Benu à sua frente reproduziriam os exatos movimentos e falas da original. Akkarin continuava sob efeito da habilidade de sua parceira, observando as duas sob sua ilusão e com os sentidos atordoados.

    Para a espectro de Benu, no entanto, nada mudara. Farah continuava apoiada à sua frente tentando lidar contra seu poder. A princípio ela não sofreria tanto quanto o companheiro da espectro por se tratar de uma habilidade que as duas tinham em comum, por mais diferentes que fossem. Por isso, novamente elevava seu cosmo, concentrando-o sobre sua mão direita. Apontaria novamente na direção de Sayuki e dispararia.

    - Salamandra Satânica!

    Novamente a luz surgiria e uma poderosa rajada de cosmo seguiria na direção de Sayuki. Apesar da situação desfavorável, a direção e o poder da técnica não seria reduzida ou atrapalhada. Para Akkarin, ele sentiria levemente o cosmo da Marina, mas não saberia dizer de qual direção vinha ou sequer em quem fora usada.

    - Atenção -

    - A nova ordem de postagem será a seguinte: 1° Sayuki de Benu  / 2° Akkarin de Wyvern


    Ficha dos Personagens

    Akkarin de Wyvern
    HP 900
    Cosmo 725 - 25 da habilidade / - 150 da técnica

    Sayuki de Benu
    HP 350
    Cosmo 625 - 25 da habilidade

    - New Legends -


    Créditos:  Zetto
    avatar
    Akkarin de Wyvern
    Juiz do Inferno
    Juiz do Inferno

    Mensagens : 51

    Status
    Nível: 16
    HP/Cosmo: 1150/1150 (1050/1050)
    Sentidos: 8º Sentido

    Re: [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por Akkarin de Wyvern em Qui Nov 02, 2017 7:38 pm



    Trama - A Imaginação Celeste






     




    Meu ataque a acertou no torso de maneira que a mesma fora arremessada para trás, no entanto mantendo seu equilíbrio e consequentemente ficando de pé. A pessoa que estava diante de nós não era mais nosso deus soberano, mas sim uma outra jovem com aparência e beleza que rivalizava com Sayuki. Seus cabelos brancos caiam em tranças sendo que fios soltos também se destacavam sobre a Escama de Lymnades, facilmente reconhecida por suas características marcantes. Para mim nada importava.... Ela seria ainda mais bela coberta de sangue, talvez até com alguns buracos pelo corpo. A imagem de tudo que queria fazer com ela me deixou com um sorriso no rosto que se misturava a fúria que cada vez mais me consumia. A mesma se apresentou com Farah, uma general marina a serviço de Poseidon. Sua presença ali significava muitas coisas ou até mesmo complicava algumas outras, se o deus dos mares também estivesse acordado e tramando seria mais um inimigo para nos preocuparmos. Nada que nosso magnifico exército não pudesse lidar, insetos a mais e insetos a menos não significavam nada de mais, apenas que nossa vitória se tornaria mais demorada que o previsto.






    Estava preparado para batalha e meu corpo rugia de sede pelo sangue de minha adversaria. Mas tudo se complicou quando Sayuki resolveu tomar frente a batalha... E logo começou com seu canto. – Para Sayuki! – Tentei gritar para ela, mas era tarde demais.... Sua habilidade era útil, no entanto não distinguia aliados de inimigos o que acabou por me afetar. Seu canto tirou a noção dos meus sentidos e o mundo começou a ficar movediço. Eu já havia pedido para ela não usar esta habilidade de maneira inconsequente, onde ela estava com a cabeça? Ela tinha um ferimento e agora estaria à mercê de um General Marina sem que eu pudesse fazer algo para protege-la. Entre tudo quando parecia que o inferno não ficaria pior, minha visão muda e ao tempo que tentava recuperar minha noção de espaço me deparei não com uma, mas duas Sayukis de Benu, uma o espelho da outra. Quem era quem? Qual era a certa? – Parem... – Eu já estava furioso antes disso, mas estar naquele estado... – PAREM... – Estava começando a ficar louco, as duas possuíam o mesmo cosmo, a mesma fala, como poderia fazer alguma coisa assim? - Já falei... – A náusea causada pela habilidade da jovem de Benu já me afligia, até que meu limite foi atingido e isso.... Isso era bem ruim.

    - JÁ MANDEI PARAAARR!!! – Gritei enquanto ativava minha outra habilidade e simultaneamente minha técnica. – DEATH WAVE!

    Naquela altura só queria que aquilo parasse, queria que Sayuki tivesse tido outra atitude e agora infelizmente ela teria que sofrer as consequências. O ódio.... Este sentimento que me enchia e falava um nome em meu ouvido me corroía por dentro. Farah.... Eu quero matá-la, faze-la sentir a pior dor de sua vida. Se após meu ataque a ilusão de ambas se dissipasse, imediatamente iria avançar na velocidade da luz em direção a general marina que estaria com sua velocidade reduzida e assim começar uma sequencias de socos e chutes, sugando seu cosmos como consequência de minha habilidade ativa.

    - Você quis enfrentar um demônio, então vou te mostrar o sabor do inferno! – Tentaria acertar vários golpes mirando em pontos vitais, mais deixando-a viva, mas sem forças, pois tinha outro fim planejado para a bela jovem de Poseidon. Se por algum momento a mulher se esquivasse ou fugisse de minha sequencia, iria recuar e voltar para diante de Sayuki.


    Habilidade:
    Nome da Habilidade: Absorption Power

    Descrição: Apos um árduo treinamento o cosmo de Akkarin adquiriu a propriedade de absorver tipos de energias. Como a energia vital pode ser absorvida a mesma ficou também conhecida como "Toque da Morte".

    Efeitos:Akkarin pode com esta habilidade absorver anergias aonde seu cosmo tocar. A funcionalidade, utilidade e potencia esta ligada a concentração de cosmo utilizada. O kyoto logo envolvendo sua mão com cosmo ao tocar seu adversário ativa a funcionalidade de sua habilidade. A velocidade de retirada da energia é de 70 para cada 1 turno/toque. O nome absorção é mais referente a seu efeito final do que sua funcionalidade, uma vez que o cosmo esta sempre em movimento, ou seja, saindo de Akkarin indo ao alvo e o atravessando e por fim voltando para o guerreiro (Parecido com uma motosserra) o cosmo acaba por funcionar como um velcro de energia que por onde passa gruda a mesma e devido ao movimento acaba por retira-la do alvo em questão. A dois tipos de energia que essa habilidade consegue empregar possuem uma ordem sendo a primeira uma consequência indireta da segunda.

    Energia Vital: O cosmo de Akkarin passa pelas células do adversário lhe tirando a energia de dentro das mesmas. A quantidade de energia tirada é proporcional a metade da quantidade de cosmo usado, logo se o juiz usa (300) de cosmo, logo só poderá retirar (150) de energia vital, ou HP como preferir chamar. O mesmo precisa concentrar o cosmo em um ponto de seu corpo para utilizar a funcionalidade, no entanto como o efeito esta no cosmo e não no corpo de Akkarin, é possível em uma técnica separada e especificada a utilidade dessa funcionalidade ao lançar o cosmo para distante de seu corpo. Todavia esta energia só poderá ser usada em seres vivos que não possuírem o cosmo treinado, ou que tenha esgotado o mesmo. Por exemplo, Akkarin utiliza sua habilidade usando (300) de cosmo em um inimigo que possua apenas (100) da mesma energia. Logo a diferença seria descontando de sua energia vital, no caso (50). Já que o mesmo não possuiria mais o cosmo para proteger seu corpo.

    Cosmo: Este é o segundo e principal tipo de energia que a habilidade consegue tirar. O cosmo de qualquer pessoa funciona como uma proteção para o corpo do adversário diante a habilidade. Levando o mesmo calculo que a energia anterior, esta da mesma forma consegue retirar a energia de objetos que estejam banhados com a mesma. Finalizando, a energia vital só poderá ser retirada de alguém ou alguma coisa no caso da mesma não possuir mais cosmo energia.

    Death Wave:

    Nome da Técnica: Death Wave

    Estilo: Ofensiva

    Gasto Cósmico: Médio

    Descrição: Akkarin expele de seu corpo varias ondas de cosmos densificado que se espalham como ondas em um lago ao ser atingido por uma pedra. A onda contem as duas habilidades do juiz agindo simultaneamente de maneira bem mais intensa. Quando pego, o adversário tem sua velocidade bem reduzida pelo aumente da gravidade de seu corpo, ao mesmo tempo uma grande quantidade de HP é retirando levando em referencia a quantidade de cosmo gasto pelo Kyoto. O juiz pode anular o evento e determinada alvo especifico caso o mesmo esteja na área de alcance da técnica.

    Efeitos: Diminuição da velocidade, ao ser atingido o adversário tem sua velocidade reduzida. Grande perda de HP conforme gasto cósmico.

     








    __________________________________



    avatar
    MOD Sayuki de Benu
    Estrela Celeste Maior
    Estrela Celeste Maior

    Mensagens : 61

    Status
    Nível: 4
    HP/Cosmo: 650/650
    Sentidos: 7º Sentido

    Re: [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por MOD Sayuki de Benu em Qui Nov 02, 2017 10:08 pm




    Sayuki de Benu

    A agressividade latente no cosmo de Sayuki era algo tão palpável quanto o gelo que circundava aquele local. Sua melodia parecia ecoar pelo recinto de forma a atingir o impostor de alguma forma, mas ainda sim era um tanto fraco ao passo que a espectro precisaria para derrotar o mesmo. A faceta da espectro tornara-se um tanto bela e espectral, com um suave tom azulado na mesma; sua habilidade de cantar e confundir as pessoas nunca fora a mais bem vista, mas ainda sim era útil quando precisava pensar em algo e tinha pouco tempo para tal. Seus olhos fixaram-se na imagem a sua frente e aos poucos o impostor parecia demonstrar sua verdadeira face.

    Cabelos brancos e longos, corpo esbelto, rosto fino, pele clara e lábios um tanto carnudos. Um beleza impar que disputava espaço com a beleza da espectro de Benu; Seus lábios ainda moviam-se de forma lenta demonstrando a melodia que ainda era presente "Farah de Lymnares... Não achava que os marinas estivessem envolvidos..." pensou enquanto ouvia a mulher falar.  Enquanto Sayuki cantava, podia ouvir ao fundo a voz do juiz de Wyvern, mesmo que esta estivesse baixa "Merda... Esqueci-me do trato que havia feito com ele... Mas agora a merda já foi feita" o pensamento rondou a mente da espectro enquanto a melodia ainda ecoava pelo local "Agora é aguentar as consequências, mas nada que eu já não esteja acostumada a sentir. Vindo de Akkarin, tortura alguma é infernal." os lábios da espectro se curvaram levemente enquanto a melodia começava a chegar ao seu fim, mas ainda haviam resquícios da mesma no ambiente.

    O cosmo da espectro continuava a crescer cada vez mais, suavemente, a espectro moveu o pulso fechando os dedos iniciando pelo mindinho até o indicador da mão direita ──Sua voz me irrita── sayuki falou por fim abrindo a mão direita finalmente e dela nascendo uma chama de coloração negra arroxeada tão brilhante quanto o cosmo que envolvia seu corpo ── Você sequer sabe com quem está mexendo, Farah.── a voz da espectro era um pouco doce, mas era possível sentir a crueldade e o sadismo que eram algo natural de sua constelação e ainda sim eram intensificado pela enorme vontade de matar a marina a sua frente ──Mas agora somos somente eu e você── Sayuki cerrou o punho de forma abrupta e acabara abrindo novamente sentindo o calor das chamas negras em sua mão. Antes que pudesse realizar qualquer ataque, notara que a general marina havia realizado o mesmo golpe de antes, o que acabara destruindo parte de sua armadura; dotada de alguma velocidade, Sayuki tentara desviar do golpe de Lymnares de forma que não fosse atingida diretamente uma segunda vez.

    Seu dedo indicador foi levantado em direção a General marina levemente balançado de um lado para o outro ── Sua técnica não vai funcionar duas vezes comigo ── uma risada acabou por sair de seus lábios, mas logo os lábios selaram-se ao notar que o cosmo de wyvern crescia cada vez mais, e havia uma ira que nem mesmo a espectro de Benu havia sentido antes "Eu realmente estou completamente fodida agora" Pensou ao olhar por cima dos ombros e notar uma onda de cosmo vindo em sua direção, com a pouca velocidade que tinha, tentaria desviar da mesma ou ao menos minimizar o impacto da onda "Será que consigo me divertir com essa puta ainda?" pensou movimentando os dedos de ambas as mãos calmamente. Nas mesmas havia chamas negras, uma segunda habilidade que Benu havia usado pouquíssimas vezes ── Agora, eu vou torrar você, Vadia!──Sayuki esbravejava enquanto jogava em direção a marina uma pequena bola de fogo, mas precisaria tomar um pouco de cuidado com aquele movimento ou poderia acertar o juiz e causar-lhe mais problemas ainda. Sayuki decidiu parar em um canto e esperar pelo momento certo para que usasse suas chamas negras no chão ── Queime no inferno, Farah de Lymnares──



    ──Fala──

    "Pensamento"


    Habilidade Usada:



    Nome da Habilidade: Fire Flame
    Descrição:
    Após passar diversos anos treinando a fim de despertar seu cosmo, Sayuki acaba por despertar juntamente com o cosmo a habilidade de utiliza-lo como elemento: O fogo. Todas as técnicas da espectro provem do uso de seu cosmo em forma de chamas, ou seja,a espectro tem a habilidade de criar, manipular e controlar o elemento fogo proveniente de seu próprio cosmo.
    Efeitos:
    Com isso, Sayuki também possuí uma resistência muito superior contra queimaduras, até porque para poder controlar suas chamas a garota teve que suportar diversos treinamentos até desenvolver total controle sobre elas tornando assim seu corpo resistente aos efeitos causados pelo fogo.



     


    __________________________________

    avatar
    Narrador
    Player
    Player

    Mensagens : 28

    Status
    Nível: 1
    HP/Cosmo: 100/100
    Sentidos: 6 Sentidos Comúns

    Re: [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por Narrador em Sex Nov 03, 2017 3:55 am




    A Imaginação Celeste





    Sayuki havia parado de cantar. Uma vez que suas vítimas já estavam sob seu poder, continuar naquilo não mais se fazia necessário. Seu cosmo, no entanto, apenas crescia assim como sua raiva pela General Marina. De suas mãos uma chama negra nasceu, evidenciando sua outra habilidade. Enquanto se concentrava nisso, porém, demorou a notar o ataque de Farah que novamente lançara contra ela sua poderosa rajada cósmica. A espectro buscou desviar, mas devido ao seu atraso em notar o movimento inimigo, não pode desviar completamente, sendo golpeada em seu ombro esquerdo. Um ataque crítico ou mortal fora evitado, felizmente, mas sua armadura novamente quebraria, deixando aquele ombro desprotegido.

    ─ Agora, eu vou torrar você, Vadia!

    Esbravejava furiosamente a ruiva, jogando contra a Marina sua bola de fogo. Em condições normais, a albina não teria a menor dificuldade em se esquivar, mas dada as ilusões de Sayuki e o corpo ferido pelo ataque de Wyvern, ela pode apenas mover seu corpo um pouco para o lado e receber o mesmo que sua inimiga. A bola de fogo acertara seu ombro esquerdo, quebrando sua escama com o impacto e queimando-a, deixando o hematoma evidente.

    - Desgraçada...

    ─ Queime no inferno, Farah de Lymnades

    - Apenas se vier comigo, cachorrinha. – Riu da situação.

    Enquanto isso Akkarin, confuso, buscava entender o que acontecia e, principalmente, se livrar das ilusões que o afligiam. A náusea e os efeitos colaterais o enfureceram de uma maneira que seu cosmo urrou para fora de seu corpo, demonstrando uma poderosa ira que chamara a atenção das duas guerreiras. Farah o observou, buscando intensificar sua ilusão para que esta não fosse quebrada, suas mãos novamente apontaram para o espectro.

    – DEATH WAVE! – Gritou Akkarin, invocando sua técnica.

    As ondas de cosmo saíram de seu corpo, espalhando-se pelo grande salão onde se encontravam. Sem chance de esquivarem, ambas foram pegas na ira de Wyvern, tendo assim suas velocidades diminuídas drasticamente devido a pressão gravitacional exercida em seus corpos. Sua técnica, porém, não se limitava disso. O dano causado pelo impacto das ondas, por mais leves que fossem, em seus corpos também fora proporcional ao poder do Juiz. Sayuki também fora ferida nessa ação, fazendo seus joelhos se dobrarem e quase a jogando no chão pelo acúmulo de ferimentos. Farah caiu de joelhos, estava fraca porém bem longe de estar tão debilitada quanto sua oponente. Ela buscou se levantar e encarar ambos de pé uma vez mais. Ela sentia as emoções de Akkarin, podia ler seus pensamentos, podia invadir sua mente de tantas formas impensáveis. E foi graças a isso que a sua estratégia surgiu junto de um vitorioso sorriso em seu belo rosto.

    - Perfeito. – Sussurrou para si mesma.

    Ela apontou o dedo indicador de sua mão direita para Benu, enquanto emulava uma despedida com sua mão esquerda.

    - Está na hora de morrer, mulherzinha inútil. – Seu sorriso aumentou.

    Wyvern em sua fúria viu a técnica sendo desfeita e o seu alvo, a Marina, clara como o dia na sua frente. Partiu em sua direção como um touro sedento de sangue e a atacou sem que esta pudesse esboçar reação, afinal, além de ferida estava sob o efeito gravitacional do Juiz. Uma grande sequência de poderosos socos e chutes foi desferida na mulher, destruindo ainda mais sua vestimenta. O sangue escorria pela sua boca e os ferimentos se abriam em inúmeras partes de seu belo corpo. Seus olhos buscavam encontrar os de seu agressor à cada golpe recebido, mas a fúria de Akkarin o havia deixado cego de raiva. Ele não pretendia mata-la, então a sequência se encerrou quando a viu extremamente debilitada. Mal conseguia permanecer de pé, seus olhos finalmente haviam se encontrado. Mas... O que era isso? No momento em que o Espectro a encarou, seus cabelos tornaram-se vermelhos. Era... Sayuki. Antes que pudesse compreender exatamente o ocorrido, ela cairia de costas no chão, com sua armadura em pedaços e seu corpo totalmente ferido. Estava a beira da morte, não permaneceria viva mais do que alguns minutos. Do outro lado do salão estava Farah, desta vez imponente e de braços cruzados, encarando o casal.
    O Juiz havia caído em outra ilusão e por causa disso, Sayuki estava morta.

    - Atenção -

    - A ordem de postagem continua a seguinte: 1° Sayuki de Benu  / 2° Akkarin de Wyvern

    - A ordem do último turno fora alterada por problemas pessoais de um dos participantes. Tudo fora explicado e por isso a inversão.


    Ficha dos Personagens

    Akkarin de Wyvern
    HP 900
    Cosmo 475 -50 das habilidades / -200 da técnica

    Sayuki de Benu
    HP 0 -50 da técnica de Farah / -250 da técnica de Akkarin / -50 da sequência de Akkarin
    Cosmo 575 - 25 das habilidades

    - New Legends -


    Créditos:  Zetto
    avatar
    MOD Sayuki de Benu
    Estrela Celeste Maior
    Estrela Celeste Maior

    Mensagens : 61

    Status
    Nível: 4
    HP/Cosmo: 650/650
    Sentidos: 7º Sentido

    Re: [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por MOD Sayuki de Benu em Sab Nov 04, 2017 2:06 am




    Sayuki de Benu


    Onde a vida verdadeiramente começa... E onde ela verdadeiramente termina...  Naquele único momento definitivamente não sabia mais onde aquela pequena dádiva começava ou sequer terminava. Estava ajoelhada ao chão, o corpo dolorido pelos ataques sofridos e ainda sim tentava entender o porquê não conseguia acabar tão facilmente com um inimigo tão fraco quanto aquela marina "Que merda"... o pensamento formou-se sutilmente em minha mente enquanto os olhos semiopacos eram voltados em direção a Farah de Lymnares "Tive uma chance, e joguei tudo fora... Hades tenha piedade de minha alma" o pensamento se completara com o cair de uma pequena lágrima de ambos os olhos, de alguma forma sabia que aquele momento havia chegado ao fim, mas quando isso acontecera?
    Os fracos músculos de meu corpo ainda tentavam dar alguma sustentação, mas algo me pegou desprevenida fazendo com que caísse novamente em direção ao chão "Definitivamente eu perdi" o pensamento veio tão rápido quanto o primeiro soco de uma estranha mancha roxa furiosa; inicialmente não reconheci o ser que me atacava, mas de alguma forma pude sentir seu cosmo em seguida "Akkarin?" o sussurro mental foi formado após o primeiro golpe "Está com tanta raiva de min assim? Por ter usado o meu canto?" Não conseguia expressar com palavras formais as perguntas, mas as lágrimas que caiam dos olhos poderiam uma ora ser vistas pelo homem ao qual decidi entregar meu coração e alma, para toda uma eternidade "Porque me atacas dessa forma, doce anjo?" uma sessão de socos e chutes eram desferidos contra o corpo semi desfalecido, algumas feridas pequenas eram abertas e mais e mais pedaços da sapuris eram desfeitos devido a violência com a qual o juiz batia contra min "Akkarin... Pare..." o choro sufocado se formava a cada segundo que passava, e de alguma forma não conseguia falar. Não tinha forças para nada "Akkarin, por favor, pare..." as palavras escapavam-me os lábios e sequer chegavam aos ouvidos do homem que estava sobre min. Aos poucos começava a perder a consciência e de alguma forma sabia que aquele era o fim ── Akkarin... Para... ── por fim o sussurro saiu de meus lábios, um pouco tardiamente.
    Naquele momento, somente a dor me possuía, havia lágrimas e sangue em meus olhos e o rosto provavelmente estaria um pouco desfigurado devido aos golpes, quem poderia dizer algo naquele momento. Eu não sentia mais nada... Tudo o que via era a doce e plena escuridão... "Novamente aqui estou" o pensamento final havia se formado enquanto a escuridão tomava conta pouco a pouco dos olhos que tentavam manterem-se abertos gravando a ultima doce imagem que poderia ver naquele momento ── Akkarin... ── sussurrei sem muita força ── Mate-a... Por favor, ── supliquei antes que os olhos se fechassem por completo ── Mate Farah de Lymnares... Por min... ── Naquele momento os olhos se fecharam e tudo o que via e sentia era a plena escuridão... aquele era meu ato final. Era o fim de Sayuki ... O meu fim.


    ──Fala──

    "Pensamento"




     


    __________________________________

    avatar
    Akkarin de Wyvern
    Juiz do Inferno
    Juiz do Inferno

    Mensagens : 51

    Status
    Nível: 16
    HP/Cosmo: 1150/1150 (1050/1050)
    Sentidos: 8º Sentido

    Re: [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por Akkarin de Wyvern em Sab Nov 04, 2017 1:44 pm



    Trama - A Imaginação Celeste






     



    Não posso dizer de todos, mas muitos já viveram situações na qual viram suas vidas perderem o sentido ao tempo que se tornam algo irreconhecível como um grande borrão cinza.... Meus golpes eram dados com ódio, mas foram recebidos com tristeza. Quando finalmente entendi o que estava acontecendo... Era tarde demais, minha amada estava diante de mim.... Sangrando e morrendo. O brilho nos seus olhos escapava assim como seu sentimento de decepção e dúvida, era uma outra ilusão que eu havia caído e Sayuki inocente nem ao menos sabia o porquê eu a atacava. Meus olhos marejaram de lagrimas de dor, minha mente se enchia de lembranças e planos que agora nunca mais seriam realizados. Sua vida estava indo embora e indiretamente a minha vida se acabava juntamente a dela, - Como é linda... - Seu rosto aos poucos sucumbia ao fim, o que faria agora? A vida inteira procurei uma forma de causar o pior dos sofrimentos, entretanto eu nunca conseguiria causar isto, pois quem estava fadado a senti-lo era eu.... Essa dor.... Causa-la era tão importante a ponto de que a sentenciaria a mim mesmo? Isso sim poderia ser chamado de carma, mas nunca imaginaria que algo assim poderia ser sentido.

    Um último pedido, segurava sua cabeça junto a meu peito em seus últimos momentos.... Minhas lagrimas caiam sobre sua face cada vez mais pálida. Matar ela? De que adianta agora? Após acabar sobrara um mundo sem você e eu não conseguirei viver nele... Ódio, tristeza, não sabia mais o que sentir, aquele ponto creio que ambos se tornaram um só.

    - Eu prometo... – Diria com a voz tremula enquanto assim vi e senti.... Seu último suspiro de vida.  – AHHH!! – Gritava enquanto as lagrimas caiam apertando o corpo da mulher que tanto amei contra o peito. – Eu vou encontrar um jeito de estar contigo novamente.... Eu te prometo Sayuki.






    Deixei a jovem no chão e enfim me levantei, Farah devia estar está contente diante de tudo aquilo. Enfim deixei o ódio me consumir novamente, agora carregado com uma tristeza enorme. Ela me fizera cometer aquele ato e agora ela entenderia que foi o pior erro que poderia cometer. Elevei meu cosmo ao máximo, o chão começaria a tremer e olhar para mim era como olhar para a própria morte, sentir meu cosmo naquele momento era sentir como se todo desespero do mundo se condensasse dentro de si, lentamente começava a caminha enquanto falava. – Desculpe Sayuki, mas não vou matá-la.... Ela irá sofrer muito antes disso e prolongarei o máximo que conseguir, e ela terá a certeza que destruirei tudo que ela ama e todos com quem um dia se importou e ela verá tudo isso.... Pois para o inferno que ela vai... EU CHAMO DE CASA! – As enganações de nada adiantariam, agora somente teria nos dois naquele inferno de gelo... E creio que descobri algo que ela não esperava. Fechei meus olhos.... Era curioso como toda vez que olhava nos olhos cinzas de Farah uma nova ilusão se formava. Não custava nada tentar além dos mais, lutar sem a visão? Não era nada que eu não tivesse feito antes.

    Usei de toda minha velocidade ao tempo que ativei minha técnica - Damn Harvest! - Mas desta vez ela teria uma nova utilidade improvisada. Assim que meu cosmo a tocasse eu saberia a sua localização com auxilio de meus outros sentidos que estariam apurados e imediatamente iria correr em sua direção de um ponto que fugisse de seu campo de visão e evitar alguma esquiva e enfim lhe lançar um golpe com minha outra técnica ativada. – Quasar Cannon! – Logo iria voltar em outra direção lhe dando mais um golpe e assim consecutivamente. Como minha aura estaria sendo emanada somado a grande velocidade, iria acabar por formar a imagem de uma estrela com a General sendo chacoalhada para cada ponta a cada golpe. Não a mataria apenas a deixaria sem forças sequer para se mover, o fim dela estava planejado de outra forma. – SOFRA DESGRAÇADA!


    Damn Harvest:
    Nome da Técnica: Damn Harvest

    Estilo: Suporte

    Gasto Cósmico: Baixo

    Descrição: Uma onda de cosmo é emanada do Juiz por todas as direções, a mesma se afasta com um fluxo constante do mesmo. Logo seu diâmetro máximo é dado de acordo com a quantidade de cosmo utilizada (Sendo 5 metros a cada 50 de cosmos). Ao atingir seu limite a energia sobe e acaba por voltar para Akkarin. A técnica é similar a sua habilidade base, no entanto com alguns diferencias. Pela onda ser invisível, quem assiste apenas ver como se a vegetação e tudo fosse morrendo e apodrecendo por uma onda de morte.

    Efeitos: Aonde o cosmo tocar irá tirar a energia vital de tudo que tiver vida e não tiver um cosmo treinado (Inclui, arvores, plantas, madeira, animais, tudo que contenha vida), com exceção de arvores centenárias e animais de grande porte, neste caso ocorrera do alvo perder a consciência. Se a mesma atingir humanos, pode causar uma dor incomparável antes de perderem a consciência. Quando o cosmo voltar para o guerreiro, seu corpo absorvera o que foi tirado e irá tornar em sua própria energia. No caso de energia vital iria somar a sua própria, recuperando sua vitalidade desse forma. No caso de absorver cosmo o mesmo acontecerá, no entanto recuperará cosmo em vez de HP.

    Quasar Cannon:
    Nome da Técnica: Quasar Cannon

    Estilo: Suporte/Ofensivo

    Gasto Cósmico: Médio  

    Descrição: Consiste na criação de feixes gravitacionais concentrados e disparados de seu punho a cada soco. O feixe iria puxar de maneira intensa toda matéria para seu centro, logo aumentando o dano do soco e podendo destruir e perfurar materiais extremamente duros. Uma analogia para o compreendimento seria a seguinte, imagine um tubo e dentro do mesmo em seu centro existe um canudo que se estende pelo mesmo comprimento. Tudo que entrar no tudo sera violentamente atraindo e comprimido para o canudo. O "tubo" tem o diâmetro do punho de Akkarin e o efeito dura por duas rodadas causando o feixe em todos os golpes do Espectro. O feixe é disparado quando o golpe acerta o adversário. O feixe percorre uma distancia de 10 metros, podendo assim acertar oponentes ou estruturas que estiverem atrás do alvo original dependendo do dano.

    Efeitos: Os golpes do Espectro tiram dano dobrado de seu adversário por causar dano físico (punhos) e cósmico (Feixe gravitacional causado pelo cosmo). Pode destruir e perfurar matérias extremamente densos, como por exemplo pode facilmente atravessar uma armadura de prata assim como uma de ouro em alguns golpes e fazendo com que o golpe do Kyoto passe pela mesma.



     








    __________________________________



    avatar
    Narrador
    Player
    Player

    Mensagens : 28

    Status
    Nível: 1
    HP/Cosmo: 100/100
    Sentidos: 6 Sentidos Comúns

    Re: [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por Narrador em Dom Nov 05, 2017 7:13 am




    A Imaginação Celeste





    Após dizer, com muitas dificuldades, suas últimas palavras... O fim de Sayuki de Benu chegara. Seu cosmo se esvaia de seu corpo, assim como sua vitalidade, deixando-o como uma casca vazia. O culpado direto disso, Akkarin de Wyvern, apenas podia observa-la recebendo o destino decretado por ele. Segurando a cabeça da jovem contra seu peito, o homem teoricamente sem sentimentos chorava como uma criança que acabara de perder o doce para outra mais velha, gerando assim um misto de ódio e tristeza.

    Farah do outro lado do salão ainda estava em sua pose imponente, observando sem muito prazer a cena que acontecera. Apesar de tudo, ainda era humana e, por mais que Espectros fossem seres vis e vivendo uma vida não natural, ainda lhe era incomodo assistir uma cena daquelas. Ainda mais quando era a responsável indireta pelo acontecido. Por mais que tenha utilizado apenas a falta de inteligência e de estratégia de seu oponente, vê-lo perder o controle por uma simples ilusão e fazer o que fez, da forma que fez, não lhe fazia sorrir e sim observa-lo com cautela.
    Elevando seu cosmo ao máximo, o juiz fazia a Marina se preparar para o combate, entrando uma vez mais em uma pose para a luta. Seus olhos passavam rapidamente pelo local, como se buscasse por algo, retornando sempre ao mesmo ponto, seu adversário, atenta aos seus movimentos.

    Diferente de seus movimentos anteriores, o Juíz de Wyvern elaborara uma estratégia decente e esperta, fechando seus olhos e utilizando sua técnica Damn Harvest para localiza-la. Diferente do que aconteceria normalmente, sua técnica não aumentaria sua vitalidade, uma vez que esta suga a vida e o cosmo frágil ao seu redor e, naquele local, esta não existia. Assim como havia pensado, tudo que a técnica faria era lhe dar a localização exata da General Marina, que aguardou após sentir o cosmo do espectro atravessar seu corpo mas não lhe causar dano.

    O Espectro usou sua velocidade para ir ao encontro de sua inimiga, ele buscou ataca-la de um ponto que fugisse de seu campo de visão, no entanto, estavam em um grande salão espaçoso e sem nada em seu interior, logo, esse ponto não existia. Farah pode senti-lo se aproximar, mas não estava acostumada com a velocidade de seu inimigo, sendo atingida a primeira vez no abdômen, fazendo-a levantar alguns centímetros do chão e ser trespassada pelo feixe. No entanto, ao invés de continuar o ataque, Wyvern decidiu se afastar e voltar por outra direção. Desta vez, Farah já havia observado não uma, mas duas vezes sua técnica contando com a vez que ainda se parecia com Hades. A velocidade de seu oponente também não era nada anormal para ela. Ao observa-lo se aproximando por outra direção, esta jogou seu corpo para o alto, com seu cosmo elevado e as palmas de suas mãos juntas, lado a lado, apontadas para o Espectro, ela lançaria sua técnica.

    - Faíscas de Salamandra!

    Da palma de suas mãos, feixes irregulares seriam lançados na direção de Akkarin. A direção confusa dos feixes, que pareciam dançar como raios no ar, acertariam não apenas o espectro como o local ao seu redor. A eletricidade da técnica percorreria o corpo de Wyvern, deixando-o imóvel por alguns segundos. Tempo suficiente para que a General se aproximasse e lhe chutasse na boca do estômago, arremessando-o contra a parede do local.
    Enquanto seu adversário voava e acertava o concreto, Farah cairia de joelhos, exausta por conta da quantidade de técnicas que já havia utilizado, de suas ilusões e dos vários ataques sofridos até o momento.


    No entanto, um cosmo tremendo poderia ser sentido naquele momento. Era algo místico, diferente do cosmo agressivo dos Espectros e do cosmo ilusivo de Farah. Algo único, algo que mexia com a espiritualidade de todos aqueles no salão, mesmo suas almas pareciam detectar a presença respeitosa daquele ser. E lá estava ele, um pouco a frente da circunferência das águas congeladas no centro do salão, estava a figura imponente de mais um General Marina. Era um homem negro com tatuagens em todo seu rosto, sua altura se equiparava a de Akkarin, mas seus músculos eram menores e menos trabalhados. Seu rosto evidenciava traços de sua idade mais elevada, assim como seus cabelos brancos e olhos cansados. Em sua mão direita este segurava uma lança e sua esquerda apontava para Farah. Um cosmo saia desta, envolvendo sua companheira, era um cosmo gentil e generoso, estava compartilhando o seu próprio com Lymnades enquanto também curava seus ferimentos mais graves.

    - Farah de Lymnades. Vejo que está tendo dificuldade com estes insetos. – Observou o corpo inerte de Sayuki. – Ao menos conseguiu eliminar um dos oponentes, muito bem. – Ele observou Akkarin caído do outro lado do salão e retornou seus olhos à Farah. – Mas temo que sua presença não mais seja necessária neste local. Poseidon a espera para uma audiência. Ele não me parecia muito contente com algo que você fez... Deixe-me ver... Itália, não foi? Creio que mencionara isso. – Cerrou os olhos enquanto fitava sua companheira. – O que em nome dos Deuses você fez naquelas terras, minha jovem? Bom, não é da minha conta. O meu dever é apenas leva-la de volta... – Fora interrompido.

    - Não interrompa esta luta, meu Mestre! É meu dever mata-lo e assegurar a o sigilo deste lugar! Foi o próprio Poseidon que me ordenou e... – Agora era sua vez de ser interrompida, mas não com palavras. O cosmo de Vishnu crescera de forma abrupta e, ao invés de envolve-la e cura-la, agora a sufocava e prensava sua alma.

    - Não me faça repetir, criança. As ordens de Poseidon são para você retornar e se explicar ao próprio! Não me faça perder tempo aqui. Até por que, pense bem. Se Hades enviou seus cães de caça até este local é porque ele não é mais secreto. – Ele a liberou da técnica. – Agora vá. – Farah começou a caminhar na direção de Chrysaor e das águas congeladas. – No entanto, imagino que nosso visitante não a deixará ir tão facilmente, então eu, Vishnu de Chrysaor servirei como seu oponente até saciar esse ódio que exala de seu corpo.

    O homem se movimentou, se colocando no caminho entre Farah e Akkarin. Levantou sua lança alguns centímetros, batendo com a ponta do cabo desta no chão. Ao fazer isso, seu cosmo se espalhou pelo local, criando uma barreira cósmica entre eles, dificultando o acesso de Wyvern até aquela área caso o mesmo tentasse avançar antes de Lymnades escapar, o que não levaria muito tempo.

    - Espero que essa sua alma raivosa e completamente inútil encontre a satisfação de seus desejos na minha presença. Não tenho ordens para lhe matar, então apenas ficarei aqui até se cansar.

    Enquanto seus olhos imponentes e cerrados fitavam Akkarin de Wyvern, provavelmente já de pé neste momento, Farah conseguia com sucesso escapar do local, pulando dentro do buraco que os espectros notaram existir nas águas congeladas ao adentrarem o local. Aquela de fato fora o meio de acesso dos dois Generais até o local. Onde daria, no entanto, era uma incógnita que apenas poderia ser respondida por um dos Marinas ou por algum ser que aguentasse tanto tempo debaixo d’água.


    - Venha. – Vishnu clamou pelo duelo.


    IMPORTANTE

    - Sayuki de Benu não postará mais.


    Ficha dos Personagens

    Akkarin de Wyvern
    HP 700 -150 da técnica de Farah / -50 do chute e impacto contra a parede
    Cosmo 275 -50 da técnica (baixo) / -150 da técnica (médio)

    Sayuki de Benu (Morta)
    HP 0
    Cosmo 575

    - New Legends -


    Créditos:  Zetto
    avatar
    Akkarin de Wyvern
    Juiz do Inferno
    Juiz do Inferno

    Mensagens : 51

    Status
    Nível: 16
    HP/Cosmo: 1150/1150 (1050/1050)
    Sentidos: 8º Sentido

    Re: [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por Akkarin de Wyvern em Sex Nov 10, 2017 3:42 pm



    Trama - A Imaginação Celeste







    Minha técnica funcionara e consegui obter a posição exata da mulher, no entanto somente isso que obtive de minha investida uma vez que não consegui absorver nenhuma quantidade de cosmo ou energia vital. Meu ataque foi rápida e consegui acertar minha oponente no abdome levantando-a alguns centímetros no ar como consequência, no entanto um erro em meus cálculos deu a mulher a oportunidade de escapar do combo de ataques que se seguiria.

    Mal pude reagir quando a mulher jogou seus estranhos feixes de energia em minha direção, a consequência? Fiquei paralisado como um verme covarde, não por escolha nem por muito tempo, todavia tempo suficiente para a mulher desferi um golpe em meu estomago que arremessou meu corpo contra a parede. Eu estava machucando, mas nada que me impedia de continuar a batalha, o que me preocupava era a quantidade de cosmo que eu havia queimado até aquele ponto.... Eu precisava continuar lutando.... Por toda a vida sempre tive de lutar e se cheguei aonde cheguei foi porque vivia em meu limite e sempre que alcançava essa linha eu ficava mais forte! Imagens de toda minha vida, treinamento e variadas experiências passavam pela minha mente conforme eu aumentava meu cosmo. Lembrava das vezes que achei que não conseguiria mais, até que surpreendia a mim mesmo chegando mais longe do que já fui! Tudo isso porque limites são feitos para serem ultrapassados, são feitos para nos tornar mais fortes e dignos de nosso poder! (Esta foi uma tentativa de recuperação de cosmo)

    - Ahhhh! – Gritei enquanto aumentava meu cosmo e saia do concreto que havia atingindo de maneira brusca e explosiva fazendo com que fragmentos do mesmo se espalhassem pela sala.  

    A minha frente pude ver que Farah já sentia o peso da batalha em suas costas, ajoelhada diante de mim era fácil perceber o cansaço e o dano que a mesma acumulava a cada investida. Entre tudo logo quando iria avançar para a bela guerreira de Poseidon, pude sentir um cosmo tremendo surgindo naquele local. Era algo diferente, não era agressivo como o meu cosmo ou mesmo de qualquer espectro, nem ilusório como de Farah.... Não conseguia definir aquilo, mas era como se minha alma sentisse e respeitasse a presença daquele misterioso ser. Diante do círculo de gelo parado como se possuísse toda serenidade do mundo mais um General Marina nos observava. Um homem negro com tatuagens pelo corpo, sua aparência era peculiar uma vez que não demostrava poder, no entanto seu cosmo era algo que impunha o respeito de quem sentia e mostrava sua superioridade dentre os demais. Algo que eu comumente fazia, no entanto eu fazia por base do terror, medo e desespero, já ele.... Conseguia alcançar nossas almas. Sua idade era demostrada nos traços experientes de seu rosto assim como em seus cabelos grisalhos e olhos que pareciam já ter visto de tudo em sua vida. Sua lança chamava atenção, mas nada comparado ao que fazia com sua mão esquerda. Da mesma saia um cosmo gentil e generoso que me deu certo enjoou ao sentir e que logo envolveu Farah e diante dos meus olhos pude ver minha adversaria recuperando de seu cansaço e até mesmo de seus ferimentos mais graves, ele estava compartilhando a própria energia com a mulher.

    A conversa se seguia entre os dois que agiam como se eu nem ao menos estivesse ali. No entanto diante da recusa da jovem de seguir as ordens daquele que seria seu mestre o mesmo acabou por mostrar que seu cosmo era muito mais que gentil e generoso ao sufocar a alma da General além de subir o mesmo de maneira abrupta. Mas quando sua atenção finalmente voltou a mim descobri que Vishnu de Chrysaor planejava se colocar entre mim e a assassina de Sayuki proporcionando uma fuga para a mesma ao tempo que se tornaria o meu adversário, ou melhor dizendo, deixou claro em meios as ofensas que apenas ficaria parado até que minha alma estivesse saciada. Todavia era algo que nunca iria acontecer, apenas o sangue de Farah em minhas mãos poderia me trazer alguma satisfação.

    Uma barreira fora criada para evitar alguma investida que impossibilitasse a fuga da mulher, o que me deu tempo para analisar. Eu estava com ódio emanando de cada poro do meu corpo, mas entrar em uma batalha ali e no estado que estava poderia não ser algo sábio de se fazer e minha experiência mais recente me ensinou que devo pensar antes de tomar certas atitudes. Tentava elevar meu cosmo a altura da de meu adversário, mas como dois extremos opostos o meu expressava sofrimento e uma sensação de medo. Caminhei calmamente até o corpo da bela jovem que um dia chamei de minha e o coloquei em meus braços, voltei a ficar diante do General e lhe perguntei.

    - Me diga, porque Poseidon deu suas caras agora? O que este verme planeja se revelando logo agora? – Perguntaria e logo que obtivera alguma resposta iria voltar a falar. – Eu matarei Farah de Lymnares! Entre em meu caminho a será mais um verme a sofrer em minhas mãos Vishnu de Chrysaor.... É uma promessa! – Logo iria sair do local caminhando e desaparecendo em meio a nevasca.






    Quando estava um tanto distante do local, com tudo ainda próximo a cidade, eu parei e coloquei o corpo de Sayuki sobre o solo. Usei da gravidade para levantar uma quantidade de gelo e assim formar uma cova com o tamanho certo de Sayuki. Meu coração doía a cada movimento, peguei seu corpo e o coloquei no buraco, e por fim parei para olhar pela última vez minha linda e bela mulher que me ensinou e me mostrou tantas coisas que eu nem sabia que existiam em mim mesmo. Lembrei do dia que a encontrei pela primeira vez naquela vila e como já me sentia conectado a ela... Lembrei do quanto demoramos para aceitar, mas assim que aceitamos em meio aquela chuva de sangue pudemos viver mais contentes de maneira que um completasse o outro.... Quanto sofrimento causamos juntos.... Meu coração doía por uma falta que não iria acabar, por uma ausência que parecia que nunca mais seria preenchida, eu havia perdido muito mais do tempo com estes malditos marinas. E pela última vez lhe beijei na testa e uma vez fora do buraco, deixei que o amontoado de gelo caísse sobre o corpo já sem a Sapuris da jovem.

    - Você foi incrivelmente importante para mim.... Espere meu bem, pois meu coração me diz que ainda te encontrarei novamente.

    E assim me despedi de Sayuki de Benu e o que restou apenas foram as boas memorias e tudo que aprendi com ela. Mas algo a mais ficou, um desejo por vingança que ardia em mim. No mais somente tenho a agradecer, obrigado por fazer parte da minha história, obrigado por me mostrar que posso ser mais do que pensava que pudesse ser..... Obrigado por ter sido minha por este tempo, obrigado.... Por tudo.

    Por fim iria voltar para o reino de Hades onde relataria todos os acontecidos para Pandora.




     








    __________________________________



    avatar
    Narrador
    Player
    Player

    Mensagens : 28

    Status
    Nível: 1
    HP/Cosmo: 100/100
    Sentidos: 6 Sentidos Comúns

    Re: [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por Narrador em Sab Nov 11, 2017 1:16 am




    A Imaginação Celeste




    Vishnu observou com certa satisfação a decisão do Juíz, que após observar a situação, entendeu que aquela batalha não teria utilidade para nenhum dos lados. Caminhou até o corpo de sua companheira, morta por suas mãos, e a pegou em seus braços. Akkarin se posicionou perante o General e, apesar de sua postura agressiva, o mesmo percebeu que não era um ataque que lhe esperava, desfazendo assim sua barreira e encarando o homem como um igual, abaixando sua lança.

    - Espectro... – Franziu sua testa. – Eu apenas o perdoarei desta vez, mas se voltar a desrespeitar meu Senhor Poseidon na minha frente eu lhe garanto que nem você ou sua companheira terão corpos para serem enterrados. – Uma súbita e enorme explosão do cosmo místico de Chrysaor daria crédito ás suas palavras. – No entanto, eu responderei sua dúvida.

    Ele se virou, caminhando até o buraco no gelo feito por Farah para chegar até o local e usado por ele para segui-la há pouco.

    - Sim, Poseidon está desperto, assim como todo o seu exército. No entanto, estamos tendo problemas por conta da última Guerra Santa e, por isso, nós nos manteremos em sigilo até o derradeiro momento. Se quiser encontrar Farah mais uma vez, certifique-se de que Hades vença esta guerra e que você sobreviva. Caso o contrário... – Ele se virou completamente, preparando-se para saltar. – Adeus, espectro. – Seu corpo sumira dentro daquele quase infinito buraco, deixando Wyvern sozinho.

    Akkarin após sair das ruínas daquela cidade destruída, encontrou um local pacífico e pouso, criando um buraco para enterrar Sayuki e honrar suas memórias. Estava sofrendo, mas não havia nada que pudesse fazer. Retornar para Pandora sem nem mesmo ter derrotado um inimigo também não ajudava em nada a situação do Juíz, mas, novamente, não havia nada para ser feito, apenas arcar com as consequências. E fora o que Akkarin corajosamente decidiu fazer, alçando voo e retornando para o Castelo de Hades, onde se relataria para Pandora e sofreria as possíveis consequências de seus atos. Esperaria pelo melhor, afinal, apesar de tudo era um espectro e buscava servir ao seu Senhor da melhor forma possível. Antes que pudesse perceber, o deserto de gelo já estava distante.


    - Momentos Antes

    O Grande Mestre estava sentado em seu confortável assento, diferente do usual ele não vestia sua máscara, apenas o seu elmo dourado. Sua expressão desconfortável e o suor frio escorria pelo seu rosto. Aquela definitivamente não era uma boa ideia, mas não podia deixar de confiar em Athena nem por um segundo. Estava decidido. Allister apenas podia esperar pelo melhor.

    Após subir as doze casas, dez destas vazias, o cavaleiro de ouro adentrava ao seu salão, ajoelhando-se a sua frente e se apresentando para o serviço após ser intimado a comparecer até ali.

    - Estou decepcionado. – Sua voz era morosa. – Apesar dos avisos de Allen, eu acreditei que você fosse tomar a atitude correta frente àqueles que um dia sacrificaram sua família por puro prazer. Seu relatório chegou até mim e, por mais que tenha detido aquele espectro, sua atitude não condiz com a de um Cavaleiro de Ouro.

    O patriarca se levantou, caminhando na direção do Dourado ajoelhado e dobrou seus joelhos, pondo sua mão direita sobre a ombreira de mesmo lado do cavaleiro, fitando seus olhos bem de perto.

    - No entanto, não posso dizer que não sei como se sente. Athena também concorda com isso e, por isso, nós o perdoamos. – Um pequeno e rápido sorriso surgiu em sua face cansada. – No entanto, você será punido. – Ele se afastou mais uma vez, voltando ao seu assento. - Mas esta punição aguardará o seu retorno.

    - Athena... – Ainda estava desconfortável com a situação. – Sentiu três cosmos poderosos em um local distante daqui... Um deles era diferente dos espectros e mesmo dos cavaleiros. Acreditamos pertencer á um guerreiro distinto, provavelmente servindo outro Deus, como se já não tivéssemos problemas o suficiente. – Suspirou. – No entanto, os outros dois cosmos pertenciam à espectros. Pertenciam. Um deles pereceu em batalha, mas... De acordo com Athena, aquele cosmo não pertencia àquela pessoa. Aquele espectro fora, de alguma forma... Possuído? Talvez essa seja a palavra certa, nem mesmo Athena pode explicar, mas... Ela acredita que esta pessoa não é maligna e sim que algo está por trás de suas ações. – Allister fitou imponentemente os olhos do Cavaleiro de Ouro. – Eu quero que você vá até o local e resgate este Espectro. Por mais louco que isso seja, Athena deseja salvar sua alma. Bom, ela já o fez, na verdade. Antes de seu cosmo se esvair por completo, ela lançou o seu próprio para protege-lo. Seu corpo provavelmente estará inerte, morto, mas se o seu cosmo puro toca-lo, certamente reagirá com o de Athena e este espectro retornará do Yomotsu. Sim, ele não está morto ainda, apenas em animação suspensa. O cosmo de Athena não o protegerá por muito tempo, então vá imediatamente. As coordenadas você deverá pegar com Allen na primeira casa. Ao chegar até lá, o cosmo de Athena o guiará até o corpo. – Ele estendeu sua mão como se agradecesse a presença do Cavaleiro mas ao mesmo tempo indicasse a saída. – Está dispensado.

    Dentro do caixão improvisado de Sayuki, feito por Akkarin, seu corpo estaria envolvido agora por uma leve aura dourada, protegendo-a do frio e da morte. Mantendo seu corpo ligado à sua alma. Ainda havia uma esperança para aquela mulher. Athena agora se tornaria sua salvadora, assim como o Cavaleiro de Ouro que em breve a resgataria.


    IMPORTANTE

    - Participação de Akkarin de Wyvern encerrada. +1 level adicionado.

    - Nova ordem de postagem: 1° Cavaleiro de Ouro / 2° Sayuki

    - New Legends -


    Créditos:  Zetto

    Conteúdo patrocinado

    Re: [ON Trama] A Imaginação Celeste

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Ter Nov 21, 2017 12:58 am