Fórum interpretativo dentro do universo de Saint Seiya.


    [ON Trama] O Início da Guerra: A Invasão (Parte 1)

    Compartilhe
    avatar
    Narrador
    Player
    Player

    Mensagens : 28

    Status
    Nível: 1
    HP/Cosmo: 100/100
    Sentidos: 6 Sentidos Comúns

    [ON Trama] O Início da Guerra: A Invasão (Parte 1)

    Mensagem por Narrador em Qua Nov 01, 2017 8:53 pm




    O Início da Guerra: A Invasão (Parte 1)




    - A Trama não terá um post narrativo inicial

    - O espectros Cecília de Griffon e Cornélia de Harpia postarão na ordem que desejarem (a ordem será decidida depois)

    - O post inicial será sobre vocês dois chegando ao local para prestar suporte à Benhardt de Necromancer e Yoshiro de Behemoth. Procurem chamarem a atenção e avisarem à todos sobre sua presença.

    - Após o post inicial, aguardem o post do Narrador ou o de seus oponentes.

    - O prazo de postagem, conforme as regras, é de até 5 dias contados a partir deste post. O prazo conta para ambos os posts de ambos os players, e não individualmente. Ou seja, ambos tem apenas 5 dias para postar.

    - New Legends -


    Créditos:  Zetto
    avatar
    Cornélia de Harpia
    Estrela Celeste
    Estrela Celeste

    Mensagens : 15

    Status
    Nível: 2
    HP/Cosmo: 450/450
    Sentidos: 6º Sentido

    Re: [ON Trama] O Início da Guerra: A Invasão (Parte 1)

    Mensagem por Cornélia de Harpia em Qui Nov 02, 2017 1:13 pm

    O ínicio do fim
    Coringa...





    As estrelas brilhavam fortemente no céu, assim como a brisa noturna rodeava a asas de Harpia, enfim, Cornélia chegou ao santuário. Seus olhos cinzentos contemplou a base dos cavaleiros, ela sentia toda história que aquele local viveu, sentiu o poder que o Santuário emanava, apesar de ainda não ter chegado nas tão faladas dozes casas.

    Era arriscado de mais um espectro está ali, mas, esse era o objetivo. A invasão até então estava ocorrendo e naquele momento Cornélia era o reforço, apesar de não está sozinha.

    — Não se preocupe senhora, eu, Cornélia a Estrela Celeste da lamentação irei cumprir essa missão.

    Afirmou para a Juíza do inferno que lhe acompanhava. Harpia andou um pouco na frente, os sons de seus passos ecoavam, olhou rapidamente para a direção que ficava aquele grande relógio e depois para o outro lado onde conseguia ver uma estrutura parecida com um Coliseu.

    “ Hora de começar”

    Queimou seu cosmo para despertar a atenção enquanto andava em direção a estrutura, ela precisava se destacar e esse é o seu grande trunfo. Afinal quando Cornélia queima seu cosmo, ela se torna a mestra das ilusões. Com cerca de seis metros de altura, a Harpia fazia surgir o guardião do inferno, o cão demoníaco de três cabeça, Cérbero.

    Era difícil imaginar que aquilo era uma ilusão, ele podia ser visto a distância e todos os seus detalhes e até mesmo sons faziam ele parecer real.
    Habilidade:
    Nome da Habilidade: A lamentação da Harpia
    Descrição:
    Desde sua primeira vida, Cornélia tem a habilidade de criar ilusões tão fortes que são capazes de enganar os sentidos e a mente de seus alvos e até mesmo de enganar a própria criadora. Esse poder vem da personificação da dualidade de sua alma, gerando desde sua infância, ilusões que a própria Cornélia está presa(como por exemplo as conexões com os planos). No entanto, Cornélia conhece parte de sua habilidade e consegue controlar aquelas que ela cria conscientemente.  
    As ilusões são criadas inconscientemente quando algo traumático acontece na vida de Cornélia, ou quando está convicta de algo, criando ilusões de modo que não possa controlar.
    Suas ilusões normais, geralmente é fácil de descobrir, já que caso receba algum dano físico a pessoa acorda, ela se espalha em um amplo campo e afeta diretamente o cérebro dos seres vivos, fazendo com que tudo que ocorra nas ilusões vire um evento traumático para seus alvos, é como o efeito placebo no cérebro humano, extremamente potencializado, misturando com a hipnose, dando diversas sugestões na mente humana no qual a pessoa acaba acreditando. Apesar da fraqueza de suas ilusões, quando aperfeiçoada com suas técnicas, que envolve toda sua concentração ao ponto de não poder se mexer até seu alvo ser preso em suas ilusões, só existe uma pequena linha que separa as ilusões da realidade. Sendo assim seus sentidos são facilmente capturados pelas ilusões de Cornélia.    
    Efeitos:
    - Essa Habilidade disponibiliza a usuária a criar ilusões e a aperfeiçoar com a utilização de técnicas
    .



    -
    .


    __________________________________

    avatar
    ADM Cecilia de Griffon
    Juiz do Inferno
    Juiz do Inferno

    Mensagens : 103

    Status
    Nível: 5
    HP/Cosmo: 850/850
    Sentidos: 8º Sentido

    Re: [ON Trama] O Início da Guerra: A Invasão (Parte 1)

    Mensagem por ADM Cecilia de Griffon em Qua Nov 08, 2017 7:43 pm

    Griffon

    Tag: Invasão 903 palavras Bonecas



    Ainda não havia adentrado aos domínios da vila, estava distante, no alto de uma pequena pedra, onde seus olhos apenas observavam a calmaria local. O dia estava ensolarado, o céu azul e com poucas nuvens, atrás de si haviam algumas poucas árvores e nada mais, não estava um dia quente, a brisa fresca chocava-se contra a garota fazendo as longas madeixas negras balançarem ao sabor do vento. Os olhos escuros, se quer piscavam, estavam fixos e brilhantes, totalmente devotados em vislumbrar o lugar, era como uma caçadora que observava suas vítimas, escolhendo qual seria a primeira, ainda que o intuito da Kyoto fosse matar o maior número de pessoas possíveis. A sapuris negra cobria seu corpo, o leve brilho roxo que a mesma tinha parecia engolir a luz do sol, deixando-a envolta em trevas, o elmo não vinha em sua cabeça como o de costume permitindo assim, que as linhas delicadas do rosto de Cecilia ficassem expostas. As grandes asas faziam-na parecer um anjo da morte, talvez uma analogia perfeita se tratando de quem era.  

    Seus pensamentos eram tomados por uma única coisa naquele momento, destruir tudo que estava diante de seus olhos. A alma perturbada da Kyoto ansiava pelos gritos, pelas súplicas e pelo terror que poderia causar. Mais do que isso, Cecilia queria ver o pavor nos olhos de cada um que atravessasse seu caminho, queria sentir a vida se esvair em suas mãos, ouvir a melodia dos ossos se quebrarem ao seu bel prazer. Era uma mulher de beleza ímpar, mas presa para sempre dentro da mente de uma criança que encarava tudo aquilo como uma doce brincadeira. Ela não era como os outros espectros, de longe ela era a mais sádica, a mais forte e a mais temida, até mesmo entre os soldados de Hades. Uma mente que fora quebrada e distorcida pelo próprio senhor do submundo, que criou o mais fantástico, mas também o mais perigoso soldado que poderia ter em seu exército. Todos que ouviam o nome de Cecilia de Griffon tremiam diante de sua presença, ou se quebravam como brinquedos na mão da jovem, ela era alguém que não temia nada, nem mesmo a imperatriz do submundo e representante de Hades.  

    Um sorriso surgiu em seus finos lábios, algo que ao mesmo tempo era belo e diabólico, a adrenalina começava a correr em suas veias, sua respiração acelerava. Era a ânsia por matar que tomava seu corpo e a fazia desejar pular no meio do daquele lugar, precisava daquilo, algo dentro de si se agitava a cada momento que necessitava esperar, mas era necessário esperar o momento certo. Ter um adulto e uma criança dentro de si as vezes era um sério problema, um grande conflito interno tinha início dentro da juíza, duas personalidades totalmente distintas que lutavam para ter o controle, era um cabo de guerra interno e ela já havia aprendido a lidar com a situação. Precisava de novas peças para suas bonecas e sabia que naquele lugar encontraria tudo o que procurava, porém era um plano arriscado, estava aos pés do santuário de Athena. Novamente o sorriso veio fácil seus lábios, estava ali para causar dor e sofrimento naqueles que ela mais odiava.  

    Deixou que o espectro que a acompanhava partisse em sua frente, suportar outra presença que não fosse a de suas bonecas era difícil para ela e tinha em mente deleitar-se com aquele momento sem espectadores. Seus olhos haviam captado uma coisa que despertou sua cobiça, uma garotinha com uma linda boneca em seus braços. Cecília apaixonou-se imediatamente e desejava aquele item com toda a força de seu coração. E ela o teria. A aproximação até a menina fora rápida, chegou como uma sombra cobrindo o lugar de trevas, algo que não era incomum para ela. Uma garotinha de mais ou menos cinco anos segurava a boneca em seus braços, brincava com zelo e afinco, mas viu sua diversão interrompida pela presença da juíza: — Me entregue a boneca! Agora! — Gritou Griffon sem hesitar. Apavorada a garotinha se encolheu buscando proteger seu brinquedo. Um erro que ela não imaginava ter cometido. Com fúria a Kyoto segurou-a pelo pescoço, quebrando-o com extrema facilidade, como se ela não passasse de uma boneca em suas mãos. Quando já não havia mais vida ali, Cecilia a jogou no chão descartando-a como lixo: — Muito pequena para ser peça de uma boneca. — Deu um leve chute no cadáver que estava diante dela. Com displicência abaixou-se e pegou o objeto desejado. Tinha uma nova boneca para sua coleção.  

    Chegou a tempo de ver Harpia ainda aos pés do Santuário da falsa Deusa, imaginou que a essa altura ela já tivesse matado pelo menos uns cinco cavaleiros, mas talvez fosse esperar muito de um ser tão inferior. Por sua vez, Harpia parecia empolgada com suas palavras de euforia. Cecília limitou-se a revirar os olhos e soltar um longo suspiro enfadonho: — Vamos logo. Preciso de novas bonecas e aqui há doze que servem muito bem. — Comentou referindo-se aos protetores daqueles templos. Novamente o conflito interno começava, mas o que era uníssono dentro da kyoto, era que muitos cavaleiros perderiam sua vida naquele dia, o que a deixava imensamente feliz: — Apenas um aviso Harpia. Se eu estiver me divertindo não me interrompa. Você não vai gostar de ser uma marionete em minha mão. Tenha certeza disso. — Alertou enquanto dava o primeiro passo em direção ao seu objetivo. A brincadeira estava apenas começando.  
      

    (C) Ross




    __________________________________

    She seems dressed in all the rings...

    ''She is everything and more, The solemn hypnotic, My dahlia, bathed in possession, She is home to me, I get nervous, preversed, When I see her, it's worse, But the stress is astounding, It's now or never, She's coming home... Forever


    avatar
    Narrador
    Player
    Player

    Mensagens : 28

    Status
    Nível: 1
    HP/Cosmo: 100/100
    Sentidos: 6 Sentidos Comúns

    Re: [ON Trama] O Início da Guerra: A Invasão (Parte 1)

    Mensagem por Narrador em Sab Nov 11, 2017 12:17 am




    O Início da Guerra: A Invasão (Parte 1)




    Temendo que as defensas do Santuário estivessem alertas à possíveis invasões, Pandora decidira mandar mais dois de seus espectros até o fronte de batalha e, apesar de um destes ser uma poderosa Juíza do Inferno, estes dois serviriam apenas para distração. E, bem, a governante poderia finalmente botar em teste sua nova e preciosa comandada: Cecília de Griffon. Seria no mínimo interessante.
    Enquanto Cornélia seguira rapidamente para o centro do Santuário, a Juíza fez uma pequena pausa em Rodório quando seus olhos encontraram uma criança e sua boneca pelas ruas escuras do vilarejo. Tratou rapidamente de mata-la de forma sádica e roubar o seu brinquedo para si, seguindo novamente na direção de sua companheira e deixando para trás gritos desesperados dos pais da criança e de alguns moradores que presenciaram a cena.

    A Harpia, no entanto, mais focada em sua missão, já elevava seu cosmo anunciando sua presença e lançando sua ilusão no centro do local onde estavam, criando um gigantesco cão do inferno que certamente amedrontaria qualquer soldado ou cavaleiro que estivesse ali, e foi o que fez com cerca de duas dúzias de soldados que haviam chegado ao local no momento. A maioria destes fora surpreendida, caindo no chão devido ao susto, dois covardes se urinaram e outros três saíram correndo completamente assustados.
    A ilusão, no entanto, era invisível para qualquer um fora daquele campo e foi por isso que Lyanna de Cobra, a amazona de prata que estava por perto, não entendeu o que havia acontecido, se aproximando rapidamente do local.

    Ao adentrar a área de Cornélia, o cão apareceu e, claro, ela também se assustou, recuando um pouco e colocando os pensamentos em ordem. Não demorou muito para descobrir que se tratava de uma ilusão. Fora treinada por Sigge de Gêmeos e tais habilidades não lhe eram estranhas, não teria problemas com este cão enorme, apenas iria ignora-lo, afinal, isso apenas estava em sua cabeça. A sua frente, no entanto, estavam uma Juíza do Inferno e uma Estrela Celeste Maior. Isso certamente lhe causava arrepios, principalmente por notar estar sozinha naquele local, além dos fracos soldados.

    - O que vocês querem aqui, espectros malditos? – Apesar do calafrio, devia fazer seu dever. Por trás da máscara prateada questionou os invasores. – Saiam do Santuário de Athena imediatamente ou encontrarão a morte! – Era obviamente um blefe, ela não teria como enfrentar os dois adversários se estes decidissem atacar ao mesmo tempo.

    - New Legends -


    Créditos:  Zetto
    avatar
    Cornélia de Harpia
    Estrela Celeste
    Estrela Celeste

    Mensagens : 15

    Status
    Nível: 2
    HP/Cosmo: 450/450
    Sentidos: 6º Sentido

    Re: [ON Trama] O Início da Guerra: A Invasão (Parte 1)

    Mensagem por Cornélia de Harpia em Sab Nov 11, 2017 8:18 am

    O ínicio do fim
    A misericórdia da Harpia...





    Ah, Aquela sensação. O corpo de Cornélia tremia todo só por sentir o odor, os gritos e o desespero dos seus adversários, um sorriso nascia de seu rosto.

    Aqueles vermes enchiam seu coração de raiva e rancor, hipócritas e nojentos, sim, todos aqueles que juraram defender Atena, juraram proteger a paz e o amor na terra. Mentirosos, todos eles, ela sentia a hipocrisia, sentia os arrependimentos no seu coração.

    Para ela aquela sensação é sublime, ver vermes urinando, o tremor deles.

    — Milady, tenho certeza que esses vermes não irão entreter a senhora. Provavelmente nem aqueles que são considerados os dozes cavaleiros mais forte de Atena estão próximo de seu nível, mas continuam sendo ótimos brinquedos.

    Harpia notou que algo estava errado, alguém se aproximava ignorando completamente sua ilusão, uma mulher cavaleiro?! Cornélia nunca tinha visto uma, mas, pelo traje parecia ser um cavaleiro de prata. Ela ouviu tudo que a garota disse e não conseguiu segurar uma risada.

    — Ouçam-me cavaleiros, vocês não têm chance contra nós espectros de Hades, se tem amor por suas vidas fujam. — Ela cessou seu cosmo e olhou diretamente para a menina prateada. — Então o que vai ser?!




    -
    .


    __________________________________


    Conteúdo patrocinado

    Re: [ON Trama] O Início da Guerra: A Invasão (Parte 1)

    Mensagem por Conteúdo patrocinado


      Data/hora atual: Ter Nov 21, 2017 1:03 am